Latam e Sky: Nove voos mudam rota por ameaça de bombas na América do Sul
Latam e Sky: Nove voos mudam rota por ameaça de bombas na América do Sul
Latam e Sky: Nove voos mudam rota por ameaça de bombas na América do Sul
Leia mais

Latam e Sky: Nove voos mudam rota por ameaça de bombas na América do Sul

No total, 11 ameaças foram feitas em menos de 24 horas segundo a agência de aviação civil chilena.

Pelo menos nove voos com destino ao Chile, Argentina e Peru foram afetados nesta quinta-feira, 16, após receberem ameaças de possíveis explosivos a bordo. Seis aeronaves fizeram pousos forçados ou retornaram ao aeroporto de origem, enquanto outras três tiveram a decolagem suspensa. Segundo a agência Reuters, os voos afetados pertenciam à companhia Latam e à empresa chilena low cost Sky.

No total, 11 ameaças foram feitas diretamente aos escritórios da Latam e às autoridades chilenas, sendo duas fictícias e nove relacionadas a voos reais. Ainda segundo as autoridades locais, ninguém ficou ferido e a situação normalizou-se ainda no fim do dia.

Os passageiros precisaram ser retirados das aeronaves e tiveram seus pertences revistados. O esquadrão antibombas também foi acionado para inspecionar o local, mas nenhum artefato foi encontrado.

Para o diretor-geral da agência de aviação civil do Chile, Victor Villalobos Collao, o próximo passo da operação será rastrear a origem das chamadas. "Nós sempre temos uma ou duas malas abandonadas, isso é normal, mas esse é um caso totalmente excepcional", disse em coletiva de imprensa.

Segundo a agência chilena, o voo da Latam 2369 que havia decolado de Lima com destino a Santiago foi desviado para Pisco, ainda no Peru enquanto o voo 800, da mesma companhia, que havia havia decolado de Auckland, na Nova Zelândia, precisou fazer um pouso de emergência em Santiago.

As aeronaves da Sky, a 162 (que saia de Santiago rumo a Antofagasta) e a 524 (entre Mendoza e Rosário) também tiveram que fazer pousos de emergência na capital chilena.

Uma terceira aeronave, ainda em solo no momento do alerta, nem chegou a decolar por "questões de segurança", informou a empresa em seu Twitter.

Em nota, a Latam confirmou as ameaças, mas não revelou os detalhes dos demais voos afetados. "Até o momento as autoridades não encontraram nenhuma evidência que possa colocar os passageiros em risco", afirmou.

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações