Ultrassonografia pélvica: definição, procedimento do exame, riscos

Ultrassonografia pélvica: definição, procedimento do exame, riscos

A ultrassonografia pélvica é uma técnica de imagem médica. Recorrendo ao ultrassom, ele permite visualizar os órgãos do interior da pelve em mulheres e homens.

O que é um ultrassom pélvico?

Como outros ultrassons, a ultrassonografia pélvica baseia-se no uso de uma sonda de ultrassons: quando os órgãos da região pélvica refletem as ondas, o eco é traduzido em imagens por meio de uma tela. Nas mulheres, a ultrassonografia pélvica essencialmente examina os órgãos genitais internos (útero, ovários, tubas uterinas) e a bexiga, enquanto nos homens é usada principalmente para visualizar a próstata e a bexiga.

A ultrassonografia pélvica é frequentemente usada para fins de diagnóstico, quando um sintoma mostra um distúrbio do trato urogenital (sangramento fora da menstruação, dor pélvica). Também pode ser parte de uma avaliação de infertilidade em mulheres, ser usado durante certos procedimentos cirúrgicos ou acompanhar a evolução de uma patologia.

Ultrassonografia pélvica: como é o exame?

Não é necessário estar em jejum, mas pode ser preciso ficar com a bexiga cheia antes do exame: nesse caso, é necessário beber de 500 mL a 1 L de água, uma hora antes do ultrassom, sem urinar. Essa recomendação diz respeito apenas à ultrassonografia pélvica pela via suprapúbica.

Para realizar esse exame, o paciente fica deitado de costas, o gel é espalhado no ventre inferior e, em seguida, a sonda de ultrassom é aplicada na pele. Entretanto, em alguns casos, é necessário introduzir a sonda na vagina (ultrassom endovaginal) ou no reto do homem (ultrassonografia endorretal), para obter imagens de melhor qualidade. A sonda é coberta com um preservativo e gel antes de sua introdução.

A duração total do exame pode variar de acordo com a técnica utilizada e os órgãos a serem examinados, mas, em média, leva entre 20 e 40 minutos. O radiologista então envia seu relatório diretamente ao médico assistente.

Ultrassonografia pélvica: quais são os riscos à saúde?

Leia também
Essa mãe de duas crianças postou uma foto dela e do seu marido e um detalhe chamou a atenção dos internautas

Os ultrassons da ultrassonografia não representa um perigo para a saúde. A ultrassonografia pélvica pode revelar muitos distúrbios, perfeitamente benignos (presença de cistos ovarianos sem gravidade) ou mais graves, às vezes explicando os problemas de infertilidade (malformação uterina, obstrução das tubas uterinas).

A ultrassonografia pélvica também pode detectar a presença de massas anormais, ou seja, tumores: muitos deles são benignos, mas geralmente uma amostra deve ser analisada em laboratório para ter 100% de certeza de que não se trata de um câncer (câncer de próstata, câncer do colo do útero).

Danielle Pereira
Sem Internet
Verifique suas configurações