Uma barriga de chope escondia na verdade um tumor cancerígeno de trinta e cinco quilos
Uma barriga de chope escondia na verdade um tumor cancerígeno de trinta e cinco quilos
Uma barriga de chope escondia na verdade um tumor cancerígeno de trinta e cinco quilos
Leia mais

Uma barriga de chope escondia na verdade um tumor cancerígeno de trinta e cinco quilos

Desconfie das aparências! Por vários anos um californiano foi alvo de zombaria por causa da sua "barriga de chope". Precisou de uma tomodensitometria para revelar que essa saliência abdominal era resultado da presença de um perigoso tumor de várias dezenas de quilos.

Bem como diz o famoso ditado: "as aparências enganam". E não foi Hector Hernandez que o contradisse. O caso desse californiano de 47 anos foi revelado num artigo do Washington Post, dia 27 de novembro.

Ganho de peso mal diagnosticado

"Eu sempre fui um homem corpulento", contou ele ao famoso periódico norte-americano. Seu caso ocorreu porque não se prestou atenção ao seu ganho de peso constante nos últimos dois anos. Mas quando ele constatou que seus braços e suas pernas pareciam diminuir visualmente à medida que seu estômago crescia, ele começou a pensar. Fora isso, os olhares cruzados de pessoas desconhecidas pela rua para os seus 137 kg e as brincadeiras das pessoas próximas sobre a sua "barriga de chope""sendo que eu raramente bebo essa bebida" ajudaram a aumentar sua inquietação.

Então ele começou a sofrer com queimações no estômago e constipações, com isso ele percebeu também que às vezes ele tinha dificuldade de respirar e de recuperar o fôlego, assim ele decidiu se consultar. O primeiro médico que o examinou se contentou em afastar suas inquietações explicando a ele que "cada um tem uma distribuição física diferente do peso". "Então eu achei que estava gordo só", explica Hector Hernandez.

Lipossarcoma retroperitoneal gigante

Mas ao constatar que sua barriga estava "pesada e dura ao tato", o quadragenário quis ter um segundo ponto de vista. Depois da análise de um scanner, os médicos puderam diagnosticar um lipossarcoma retroperitoneal, uma forma particular de tumor maligno que se desenvolve junto aos tecidos gordurosos. Quando recebeu o diagnóstico, Hector Hernandez se sentiu ao mesmo tempo "chocado e tranquilizado" por sabem finalmente a razão do seu estado.

Assim, ele foi operado no verão passado para que o tumor fosse retirado. A intervenção que durou uma hora foi bem sucedida, mas um rim, que tinha sido afetado pela presença do corpo estranho, teve que ser extraído.

William Tsen, o cirurgião oncologista e professor adjunto da Keck Schoool of Medicine da Universidade da Califórnia do sul que executou a intervenção indicou que o tumor retirado pesava perto de 35 kg. "Esse foi certamente o maior que eu já tive que tirar", contou ao Washington Post, precisando que enquanto especialista em sarcomas, ele teve que tirar cirurgicamente uma dúzia deles, mas que eles pesavam geralmente entre 9 e 13 kg.

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações