Um imenso berçário de tubarões é descoberto nas profundezas na costa da Irlanda

Um imenso berçário de tubarões é descoberto nas profundezas na costa da Irlanda

Um imenso berçário de tubarões foi revelado há cerca de 200 quilômetros a Oeste das costas Irlandesas com a ajuda de um veículo teleguiado. Uma descoberta de uma amplitude inédita na região.

Saindo um pouco do eixo Europeu, é possível encontrar coisas fascinantes. É certamente o que dizem pesquisadores responsáveis da INFOMAR, um projeto irlandês de documentação dos fundos marinhos. O objetivo do projeto é: "produzir mapas de componentes físicos, biológicos e químicos do fundo oceânico das zonas próximas às costas", tudo sob o financiamento do governo irlandês, mas também da União Europeia.

Explorando as profundezas ao longo da Irlanda, os cientistas realizaram uma descoberta que não era nem um pouco esperada. Durante uma missão de três semanas, batizada de SeaRover, eles descobriram um imenso berçário de tubarões. Ele se encontra numa das seis zonas marinhas protegidas contidas na Irlanda e no seu imenso território oceânico.

Milhares de tubarões e ovos em amadurecimento

O lugar foi colocado em evidência por um robô controlado à distância: enquanto ele capturava imagens dos arredores a 750 metros de profundidade, ele cruzou a rota de centenas de tubarões. Mais exatamente da espécie de boca negra (Galeus melastomus), uma espécie de menos de um metro de comprimento que vive nas águas do Atlântico Norte.

Os tubarões evoluíam ali em paz próximos a recifes de corais, acompanhados de outras espécies como o tubarão-porco (Oxynotus paradoxus), um tubarão maior e solitário que vive ao longo das costas europeias. Se a presença dos tubarões em número surpreendeu os pesquisadores, a nossa ficou por conta dos corais.

Era visível numerosos ovos que ainda não eclodiram ali, disseminados em esqueletos de corais mortos. Postos durante o verão, eles eram por volta dos milhares, entre os quais alguns estavam nos pequenos bolsos característicos de algumas espécies de tubarão. Se a descoberta não é inédita, é a primeira em que ovos são observados em tão grande quantidade nas águas irlandesas.

"Descoberta biológica enorme"

"Foi incrível ver isso. Uma descoberta biológica enorme e uma história com um impacto muito grande. Sabemos mesmo muito pouco sobre os berçários de tubarões em grandes profundidades", explica David O'Sullivan, o chefe da expedição Sea Rover, ao jornal The Guardian. Mas os pesquisadores acham que ainda não chegaram ao fim, e que haverá ainda mais surpresas.

Se puderam observar ovos e adultos, por outro lado, não se viu nenhum rastro de jovens tubarões, fazendo com que se pense que eles devem ficar escondidos em outro lugar. "Nós não vimos nenhum jovem tubarão e achamos que os tubarões adultos poderiam utilizar o recife de corais degradado e a rocha carbonada para pôr seus ovos", continua David O'Sullivan. "Um recife de corais em bom estado de saúde poderia muito bem servir de refúgio para os jovens e bebês assim que eles eclodissem".

Para tirar essa questão a limpo, os pesquisadores cogitam fazer um novo mergulho do robô nas próximas semanas a fim de ver a evolução do berçário. Essas descobertas são importantes uma vez que elas possibilitarão saber um pouco mais sobre a biodiversidade e o ciclo de vida dos tubarões que vivem nas águas profundas irlandesas. E assim desenvolver seu projeto de conservação marinha.

Leia também
Um grande tubarão branco ataca uma jaula de mergulhadores na África do sul

Zonas de conservação onde a vida se desenvolve

Esse berçário se encontra, no entanto, dentro de uma zona de proteção, onde a pesca é proibida. Consequentemente, esses lugares são cheios geralmente de uma vida marinha ainda mal documentada. Todavia, no recife de corais morto observado ao longo da Irlanda, os tubarões ficam longe de serem os únicos habitantes da região. Nas imagens da expedição, os especialistas puderam também observar ouriços do mar, caranguejos, e até polvos.

São numerosas as provas que provam a importância dessas áreas para os ecossistemas. E os tubarões não são os únicos a criar locais assim. Recentemente, pesquisadores fizeram assim uma descoberta similar ao longo da Califórnia, mas acabaram caindo num berçário povoado por milhares de polvos.

• Marcos Silva
Leia mais