Ondas gigantes: nova hipótese sobre o mistério do Triângulo das Bermudas

Ondas gigantes: nova hipótese sobre o mistério do Triângulo das Bermudas

Será que o mistério do Triângulo das Bermudas foi resolvido desta vez? Cientistas acreditam que sim!

Cientistas acreditam ter resolvido o mistério do Triângulo das Bermudas, e ele não tem nada a ver com extraterrestres nem com monstros marinhos. Estamos falando de outro tipo de monstros: as ondas monstruosas.

O Triângulo das Bermudas, também conhecido como “triângulo do demônio”, é uma região no Atlântico Norte, próximo de Miami, Bermudas e Porto Rico. Ao longo da história, uma série de acidentes de avião e de desaparecimento de navios aconteceram na área, sempre sob circunstâncias misteriosas.De acordo com o programa de televisão britânico “The Bermuda Triangle Enigma” (em português “O enigma do triângulo das bermudas”), cientistas acreditam que a causa provável é o tamanho das ondas que ocorrem na região.“Há tempestades do Sul ao norte, que se encontram e vem juntas”, disse o oceanógrafo da Universidade de Southampton Simon Boxall ao portal de notícias Sun. “E tem ainda agravantes adicionais vindo da Flórida que, no conjunto, podem ser potencialmente fatais na formação de ondas traiçoeiras”, completou.

Boxall afirmou que essas ondas traiçoeiras podem alcançar até mais de 30 metros. Para se ter uma ideia do que isso significa, essa é a altura da onda mais alta já registradas na história, um tsunami de 30 metros provocado por um terremoto e deslizamento de terra na baia de Lituya, em 1958, no Alaska.

Usando um simulador em ambiente controlado, cientistas descobriram que um navio da União Soviética chamado Cyclops, desaparecido no Triângulo das bermudas em 1918 com 206 pessoas a bordo, foi engolido por uma onda e afundou. Informações levantadas no ano passado dizem que uma falha no modelo teria tornado o Cyclops particularmente vulnerável a ondas traiçoeiras.Dois dos navios do mesmo estilo do Cyclops, Proteus e Nereus, foram dados como perdidos em condições semelhantes. Eles tinham a mesma falha, um sopé muito baixo. Em outras simulações, foi visto que uma onda traiçoeira de 15 metros seria o bastante para afundar um navio como estes, informou a Forces News.

A guarda da costa dos Estados Unidos disse que não há nada particularmente ameaçador sobre o Triângulo das Bermudas: “A guarda costeira não reconhece a existência do chamado ‘Triângulo das Bermudas’ como uma área geográfica de especial ameaça a navios e aviões. Numa avaliação sobre os vários acidentes de avião e navios perdidos na área ao longo dos anos, nada foi descoberto. Nenhum fator extraordinário jamais foi identificado”.

O Serviço Nacional Oceânico (tradução da sigla NOAA - National Oceanic and Atmospheric Administration), a agência americana responsável pela observação oceânica e atmosférica da região, manifestou uma opinião semelhante: “Considerações ambientais podem explicar todos, senão a maioria, dos desaparecimentos. Não há evidências que navios desapareceram numa proporção maior no triângulo das Bermudas do que em qualquer outro lugar.", disse a agência 

• Marcos Silva
Leia mais