Cientistas encontram tesouro escondido dentro de uma estátua de Jesus
Cientistas encontram tesouro escondido dentro de uma estátua de Jesus
Leia mais

Cientistas encontram tesouro escondido dentro de uma estátua de Jesus

Durante a restauração de uma estátua de Jesus datada do século XVIII e exposta em uma igreja na Espanha, especialistas descobriram um tesouro de 240 anos atrás, escondido na parte posterior da estátua.

Algumas das descobertas mais fascinantes acontecem em lugares inesperados; prova disso é o achado de especialistas do grupo espanhol Da Vinci Restauro. Durante uma simples operação de restauração, eles encontram algo inesperado e fascinante. Trata-se da restauração de uma estátua de Jesus crucificado. Datada do século XVIII e chamada de Cristo del Miserere, ela está suspensa na igreja de Sant’Agata, no norte da Espanha. Depois de terem constatado que a escultura de madeira apresentava rachaduras e começava a se soltar da cruz, os especialistas começaram a restauração. Colocando-a em cima de uma mesa para iniciar a operação, a equipe da Da Vinci Restauro percebeu que a estátua oca parecia conter alguma coisa. Pouco depois, descobriram o lugar do esconderijo especial: removendo uma placa de madeira do traseiro da estátua, eles encontraram antigas cartas centenárias de anos atrás.

A carta de um capelão

Segundo a análise dos restauradores, trata-se de uma carta de 1777 e assinada por Joaquín Mínguez, um capelão da catedral de Burgo de Osma que provavelmente havia pedido ao escultor, um homem chamado Manuel Bal, para esconder naquele lugar. A coisa mais extraordinária é que as cartas constituem uma verdadeira e própria "cápsula do tempo". Joaquín Mínguez realmente fornece uma imagem bastante precisa das atividades econômicas e culturais daquela época. Ele descreve os tipos de cultivo da região, como grãos, centeio, aveia, cevada e as parreiras de uvas. Ele menciona também as doenças mais comuns como a febre tifóide e os divertimentos mais populares da época, como baralhos e jogos com bolas. São também fornecidas informações mais gerais, principalmente sobre o clima político que indicam que o rei Carlos III estava no trono, a corte da Espanha residia em Madrid e faz referência à Inquisição Espanhola, que não se havia se formado até 1834. Segundo Efrén Arroyo, a natureza da carta mostra que Mínguez certamente tinha a intenção de transformar estes escritos em uma "cápsula do tempo" para as gerações futuras.

Outras "cápsulas do tempo" descobertas por acaso

Não é a primeira vez que as "cápsulas do tempo" retornam do esquecimento. Em 2014, uma outra cápsula de 113 anos atrás já tinha sido descoberto dentro de uma estátua de uma cabeça de leão em Boston, nos Estados Unidos. No ano seguinte, uma cápsula do tempo para ser aberta em 2957 foi descoberta por acaso no subsolo do prestigiado Instituto de tecnologia de Massachusetts (MIT). Mesmo que as operações de restauração de Da Vinci Restauro já haviam realizado outras descobertas, esta é certamente a mais importante feita pelo grupo. Depois da análise, as cartas foram enviadas para o arcebispo de Burgos e arquivadas. Uma cópia foi tirada e inserida novamente na parte posterior da estátua para respeitar a vontade de Joaquín Mínguez.

Veja mais sobre o tesouro encontrado assistindo o vídeo!

Escrito por De Freitas Agostinho

Sem Internet
Verifique suas configurações