Mal de Parkinson: uma indiana cria um engenhoso sistema para ajudar os pacientes a andar
Mal de Parkinson: uma indiana cria um engenhoso sistema para ajudar os pacientes a andar
Leia mais

Mal de Parkinson: uma indiana cria um engenhoso sistema para ajudar os pacientes a andar

Mileha Soneji, uma designer indiana resolveu dedicar suas ideias ajudar os paciente afetados pelo Mal de Parkinson depois de ver o estado de saúde seu tio se degradar. Desde então, ela concebeu engenhosos sistemas. Entre eles, um que faz com que os pacientes possam andar mais facilmente.

No último 11 de abril, aconteceu o Dia Mundial dedicado ao Mal de Parkinson. Afetando de 7 a 10 milhões de pessoas por todo o mundo, ele é hoje a segunda doença neurodegenerativa mais frequente, trás apenas do Alzheimer. E sua incidência pode aumentar ainda mais devido a diagnósticos mais precisos e ao aumento da esperança de vida.

O Mal de Parkinson ataca o sistema nervoso central e provoca o aparecimento de vários distúrbios, principalmente tremedeiras incontroláveis. Debilitador, ele causa às pessoas doentes grandes dificuldades. Se os pesquisadores trabalham atualmente para compreender melhor a doença, outros se dedicam a facilitar a vida das pessoas já afetadas.

É o caso de Mileha Soneji, uma designer indiana. A jovem mulher foi confrontada pela doença depois de ter visto o estado de saúde de seu tio, afetado pelo Parkinson, se degradar. Ele sentia cada vez mais dificuldade para se locomover no dia-a-dia e já precisava de um andador para andar.

Tornar as tarefas cotidianas mais simples

"Essa pessoa que estava acostumado a ser o centro da atenção nos eventos familiares, de repente, começou a se esconder. Ele se escondia do olhar cheio de vergonhas das pessoas. E ele não é o único no mundo", explicou a designer durante uma conferência TED. Cheia de ideias, ela resolveu então dedicar seus projetos à melhora do cotidiano de seu tio.

Para isso, ela conversou com ele e observou suas dificuldades para encontrar soluções. "Meu objetivo não era curar o Parkinson, mas tornar as tarefas cotidianas bem mais simples e então causar um impacto positivo", ela contou. Durante suas observações, ela também constatou que andar tinha virado uma verdadeira dificuldade para seu tio.

Pouco confiante, ele avançava lentamente, um passo depois o outro. Contudo, a designer teve uma grande surpresa ao vê-lo subindo e descendo as escadas: para essa atividade, seu tio não parecia ter nenhuma dificuldade. Enquanto ele precisava de longos minutos para atravessar um corredor, ele descia as escadas em algumas dezenas de segundos.

Uma escada em 2D impressa no chão    

Segundo Mileha Soneji, isso se explica pelo fato de descer uma escada é movimento contínuo, ao contrário de andar em solo plano. Depois de alguns testes, a indiana finalmente teve a ideia de colocar uma impressão em 2D de uma escada no chão e ver o efeito que isso tinha em seu tio. Os resultados foram imediatos, como ela descreve em um vídeo de demonstração.

"Eu queria transferir essa impressão de descer uma escada em um solo plano. Eu chamei isso de 'a ilusão da escada'", ela contou. E para essa ilusão, ela decidiu encontrar uma solução simples, eficaz e acessível a todos. "Eu poderia facilmente ter feito uma projeção ou colocado um Google glass nele".

Mas "a tecnologia nem sempre é a solução. Nos precisamos de soluções centradas no ser humano", assinalou Mileha Soneji que já imagina sua ilusão sendo usada em todas as casas e até mesmo nos hospitais. E ela não parou por aí. Ela também inventou uma caneca que permite às pessoas com tremedeiras a beber sem dificuldade e sem derramar.

Escrito por Pedro Souza
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações