Jovem ganha cerca de 4 mil libras por mês vendendo vídeos sensuais por Snapchat

Jovem ganha cerca de 4 mil libras por mês vendendo vídeos sensuais por Snapchat

Jodie Carnall vende imagens e vídeos sensuais no aplicativo: "É como um negócio próprio".

A "garota Snapchat Premium"

A britânica Jodie Carnall se considera uma artista. Porém, ao invés de cantar ou dançar, o negócio dela é diferente: a moça vende fotos e vídeos de si mesma em situações, digamos, muito sensuais através do aplicativo Snapchat. Mesmo após um considerável declínio no número de usuários do aplicativo com a ferramenta Stories no Instagram, Jodie diz que ganha 4 mil libras por mês. Em entrevista ao programa Victoria Derbyshire, transmitido pelo canal BBC, a jovem de 26 anos conta como ganha a vida divulgando o próprio corpo. "É como pessoas que cantam, que fazem shows, ou artistas que vendem suas próprias pinturas. Eu só estou vendendo fotos e vídeos de mim mesma", contou ela no programa. Cobrando entre 20 e 200 libras mensais, Carnall envia os vídeos que grava para os assinantes por meio do Snapchat Premium. Para anunciar seu negócio, a jovem se utiliza de praticamente todas as redes sociais, como o Facebook, o Instagram e o Twitter.

Leia também
15 garotas que não sabiam que é possível salvar snapchats!

Apesar de ser muito lucrativo, ela conta que o custo também é bastante alto, principalmente em sua vida pessoal: ela está sujeita a várias formas de abuso através das redes. Segundo Jodie, não faltam "comentários ofensivos" em seus perfis e uma grande parte dos internautas não aprovam o que a moça faz para ganhar dinheiro. "Me chamam de 'vagabunda' e coisas do tipo. E isso me irrita", disse ela no programa. Apesar de o Snapchat abolir conteúdo pornográfico e sempre excluir esse tipo de publicação quando encontrado, muitas famosas do mundo X conseguem manter suas contas por lá e fazem muito sucesso. Jodie por exemplo, diz que já está no negócio desde 2016. Seus advogados dizem que Jodie não está infringindo lei alguma com a prática, desde que não o conteúdo não seja distribuído para menores de idade ou algum material especialmente "depravado".

Troca de emprego e vida pessoal

Jodie contou que, antes de entrar para o negócio pelo aplicativo, trabalhava em um escritório mas que, segundo ela, passava por dificuldades até mesmo para comprar comida. Hoje, ela ganha cerca de quatro vezes mais do que antes e consegue ter uma vida bem mais flexível. Porém, ela admite que o trabalho tem um lado bastante ruim; muitas pessoas a julgam e há muito tempo não consegue arrumar um namorado. "Eles não querem nada sério comigo depois que eu digo a eles qual é o meu trabalho. Ou até querem, mas pelas razões erradas", desabafou a jovem. Sua família, apesar de não a julgar mais, está preocupada com o futuro da moça.

Ela conta que as mulheres que se aventuram nessa vida são muito desvalorizadas pela sociedade, e que as únicas mensagens que ela recebe ou são sexualizadas ou xingamentos. "Quando comentários sexualizados são a única atenção que você recebe como mulher, isso pode fazer com que você se sinta completamente desvalorizada. Tudo o que eu recebo é tipo 'me mostre seus peitos' ou 'eu quero ver você de calcinha agora', ou 'você é indecente, você é imunda'. Às vezes, eu choro. É muito perturbador.", finaliza. 

• Pedro Souza
Leia mais