Síndrome de Angelman: definição, causas e tratamento. Qual é a expectativa de vida?

Síndrome de Angelman: definição, causas e tratamento. Qual é a expectativa de vida?

A síndrome de Angelman é uma doença genética rara que se caracteriza por um grave déficit intelectual e motor que afeta igualmente homens e mulheres. Entre 12.000 e 20.000 nascimentos, uma pessoa é portadora da síndrome.

O que é a síndrome de Angelman

A síndrome de Angelman é de origem genética e causa graves disfunções cerebrais e motoras. As pessoas afetadas por esta síndrome apresentam um atraso global no desenvolvimento psicomotor com uma quase ausência de linguagem, problemas de equilíbrio e de sono, epilepsia e jovialidade excessiva.

Mesmo que alguns pacientes na idade adulta demonstrem uma certa autonomia nos gestos do cotidiano, a autonomia geral permanece muito limitada e o paciente terá que ser acompanhado por toda a vida.

Quais são os sintomas da síndrome de Angelman?

Os sintomas da síndrome de Angelman não aparecem no nascimento e são difíceis de identificar antes de 1 ano de idade. As manifestações começam a se tornar evidentes entre 1 e 3 anos de idade. Por isso, pode-se observar um atraso na aquisição da posição sentada e no caminhar, um déficit intelectual que se manifesta principalmente pela incapacidade de memorizar coisas e distúrbios graves de linguagem.

Embora os sintomas da síndrome de Angelman variem de um indivíduo para outro, alguns sinais são encontrados em todas as pessoas, como uma deficiência mental associada a um atraso do desenvolvimento motor, hiperatividade e linguagem limitada a poucas palavras. Em todos os pacientes, nota-se também uma baixa capacidade de atenção, um andar rígido e brusco e comportamentos típicos, como sorrisos e risos que aparecem sem um motivo particular e uma hiperexcitabilidade.

Além disso, muitos pacientes têm epilepsia, tremores nas mãos, distúrbios do sono e transtornos alimentares. Em 50% dos casos, nota-se traços faciais específicos (boca larga, dentes superiores afastados, lábio superior fino), estrabismo, problemas de escoliose e tendência à obesidade.

O que é a síndrome de Angelman?

A síndrome de Angelman geralmente é causada por uma anomalia genética no cromossomo 15. Trata-se de uma mutação de um ou mais genes ou da ausência de alguns deles. Em 90% dos casos, o diagnóstico da síndrome de Angelman pode ser confirmado por análises genéticas. Em 10% dos casos, no entanto, nenhuma anormalidade genética é detectada.

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

Cuidados e tratamento para a síndrome de Angelman

A síndrome de Angelman não pode ser curada. Assim que o diagnóstico for feito, é importante tratar o paciente o mais rápido possível com uma abordagem multidisciplinar (psicomotricista, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, fonoaudióloga). O tratamento precoce permitirá que a criança desenvolva certas habilidades, como andar, uma comunicação alternativa usando sinais ou imagens e alguns gestos da vida cotidiana.

Alguns sintomas, como epilepsia ou hiperatividade, demandam um tratamento medicamentoso, enquanto que, para distúrbios do sono, um tratamento comportamental pode ser recomendado.

Bruna Moura
Sem Internet
Verifique suas configurações