Síndrome da cauda equina: sintomas, sequelas e tratamento. Tem cura?

Síndrome da cauda equina: sintomas, sequelas e tratamento. Tem cura?

A síndrome da cauda equina é caracterizada pela compressão das raízes dos nervos situados na parte inferior das costas, o que pode levar à perda de sensibilidade dos membros inferiores. A doença deve ser tratada com urgência por meio de intervenção neurocirúrgica.

Síndrome da cauda equina: definição

A síndrome da cauda equina tem esse nome devido à parte inferior das costas chamada "cauda equina", constituída por muitas raízes nervosas da medula espinhal. A cauda equina está localizada na altura das últimas vértebras lombares e do sacro, e suas raízes saem da coluna vertebral entre as vértebras. São os nervos da cauda equina que controlam os membros inferiores e os órgãos situados na bacia.

Leia também
O maior javali do mundo: o Sus Scrofa Attila é um gigante das florestas

Quando há uma compressão dos nervos situados nesse local, ocorre a síndrome da cauda equina. A pessoa atingida pode sentir dores, perda de sensibilidade, paralisia parcial ou problemas no esfíncter.

Sintomas da síndrome da cauda equina

A síndrome da cauda equina manifesta-se por dores lombares na área perineal ou nos membros inferiores. Essas dores geralmente podem ser associadas a uma perda de sensibilidade nos órgãos genitais e ânus, pele do períneo e parte superior das coxas.

Problemas motores também podem surgir, como uma impossibilidade em caminhar sobre a ponta dos pés e saltos, em flexionar a coxa sobre a pélvis ou, em casos raros, paraplegia. Alguns pacientes também podem sofrer de impotência, constipação, incontinência ou incapacidade de urinar.

O diagnóstico da síndrome da cauda equina pode ser confirmado após uma punção lombar, uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética (MRI). Esta patologia pode afetar homens e mulheres, independentemente da idade.

O que causa a síndrome da cauda equina?

A principal causa da síndrome da cauda equina é uma hérnia de disco cujo disco intervertebral pode, em alguns casos, comprimir as raízes nervosas da cauda equina.

Um tumor localizado na região da cauda equina também pode exercer uma pressão sobre os nervos, aumentando-o e levando à síndrome da cauda equina.

Como tratar a síndrome da cauda equina?

Assim que o diagnóstico da síndrome da cauda equina é dado, o tratamento deve ser começado imediatamente, pois certos sintomas podem se tornar irreversíveis. O estado do paciente pode se agravar muito em apenas 24 horas.

O tratamento da síndrome da cauda equina deve ser feito em estado de urgência e requer uma neurocirurgia de descompressão. Esta operação consiste na remoção do tumor ou da hérnia de disco responsável pela síndrome.

Mesmo que a operação seja bem sucedida, muitos pacientes têm sequelas que podem variar de incontinência a dificuldades em andar, além de problemas sexuais. Fisioterapia, massagem e caminhada são aconselhados para que o paciente possa desenvolver a sensibilidade e a mobilidade.

Este termo bastante utilizado em Medicina e Psicologia para caracterizar o conjunto de sinais e sintomas que definem uma determinada patologia ou condição. Aqui no Gentside a gente está sempre informando sobre as diversas síndromes existentes como a síndrome de Diógenes

• Marcos Silva