Sopro no coração: em bebê, sintomas. O que é sopro no coração?
Sopro no coração: em bebê, sintomas. O que é sopro no coração?

Sopro no coração: em bebê, sintomas. O que é sopro no coração?

O sopro no coração ou sopro cardíaco é um ruído anormal que é ouvido durante a auscultação dos batimentos cardíacos. Ele pode ser dividido em dois tipos: o sopro sistólico e o sopro diastólico.

Definição de sopro no coração

O sopro no coração, ou sopro cardíaco, é um ruído incomum ouvido durante a auscultação dos batimentos do coração com um estetoscópio. Ele é causado por turbulências no fluxo do sangue pelo coração. Sua duração e localização são variáveis.

Existem duas formas de sopro cardíaco. O sopro sistólico aparece durante a contração do coração (sístole), quando o sangue é bombeado em direção aos órgãos. Já o sopro diastólico é ouvido quando o coração se enche (diástole).

A maioria das pessoas que possui sopro no coração não percebe. Muitas vezes, elas descobrem durante um exame de rotina no médico.

Causas do sopro cardíaco

O sopro no coração pode ocorrer em pessoas de qualquer idade. Em crianças, ele é frequente e muitas vezes é consequência de uma malformação cardíaca congênita. Ele geralmente desaparece durante o crescimento. No caso dos adultos, uma anomalia nas válvulas cardíacas costuma ser a responsável pelo seu aparecimento.

Uma circulação mais rápida do que o normal pode ser a origem do sopro no coração. Ela pode surgir devido a um hipertireoidismo, uma gravidez, um deficit de glóbulos vermelhos ou um crescimento rápido durante a adolescência.

Consequências do sopro no coração

Na maioria das vezes, um sopro no coração não tem nenhum impacto sobre a saúde. Ainda assim, ele pode ser sinal de alguma patologia cardíaca séria. Por isso, quando o diagnóstico é feito, o médico faz exames complementares como um ecocardiograma, um eletrocardiograma ou uma radiografia do tórax.

Tratamento do sopro cardíaco

O sopro no coração por si só não requer tratamento. Em compensação, é importante cuidar da origem do transtorno (anemia, insuficiência cardíaca etc). Para isso, a tomada de medicamentos geralmente basta. Pode se tratar de diuréticos, anticoagulantes ou de betabloqueadores.

Uma intervenção cirúrgica, entretanto, pode ser necessária para substituir uma válvula cardíaca defeituosa.

Escrito por Helena Barros
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações