Sofrendo com uma síndrome, ela se sente atraída por um tipo de homem muito especialSofrendo com uma síndrome, ela se sente atraída por um tipo de homem muito especial
Sofrendo com uma síndrome, ela se sente atraída por um tipo de homem muito especial
Leia mais

Sofrendo com uma síndrome, ela se sente atraída por um tipo de homem muito especial

Mariya dedica um verdadeiro culto aos assassinos em série. E sua fantasia vai mais longe do que nós imaginamos...

Os serial killers, eles também, podem ser símbolos sexuais. Pelo menos para as pessoas que sofrem de hibristofilia. É o caso do Mariya, de 22 anos. Ela se sente atraída sexualmente por assassinos em série: "Eu diria que eu comecei a ficar fascinada por Jeffrey Dahmer, Ted Bundy e Richard Ramirez aos 16 anos. Mas foi só mais tarde, depois de ler sobre o que eles tinham feito, que eu comecei a ficar realmente atraída por eles."

Mas para além de uma simples atração sexual, Maryia escreveu cartas para eles e manteve até mesmo relações por essas cartas com alguns deles. Ela as guarda em um caderno, com fotos deles, e até tatuou os nomes de Jeffrey Dahmer (assassino de 17 jovens homens) e de Dylann Roof (assassino em massa e supremacista branco). A jovem até mesmo confessou manter uma verdadeira relação amorosa com um assassino, que atualmente está na prisão mas a quem ela escreve e que ela vai ver. Contudo, ela não quis revelar a identidade dele.

Quando nós perguntamos à Maryia como ela se sentiria se um membro de sua família fosse morto ou estuprado, ela responde: "Eu não sei... No momento em si, eu provavelmente ficaria maluca. Mas talvez um pouco depois, quando o assassino estivesse na prisão, eu escreveria para ele e falaria com ele. Eu tentaria entender as motivações dele." 

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações