Síndrome de burnout: O que é? Sintomas e tratamento
Síndrome de burnout: O que é? Sintomas e tratamento

Síndrome de burnout: O que é? Sintomas e tratamento

A síndrome de burnout também é conhecida como síndrome do esgotamento profissional. Muito comum, é caracterizada por um estado de fadiga intensa e de desmotivação causadas pelo estresse crônico. Quais são seus sintomas e qual é seu tratamento?

Síndrome de burnout: o que é?

A síndrome de burnout, ou síndrome do esgotamento profissional, é um estado de fadiga intensa, mental ou física, ligada ao trabalho. Ela geralmente surge após meses ou anos de sobrecarga de trabalho e estresse, resultando em uma falta de motivação e de resultados.

A síndrome de burnout pode afetar todas as categorias de trabalhadores, do empresário ao operário. Aproximadamente 7% dos assalariados são afetados pela síndrome de burnout, enquanto mais de 25% declaram sentir níveis elevados de estresse crônico na empresa.

Síndrome de burnout: sintomas

A síndrome de burnout não surge do dia para a noite. É um estado que progride ao longo do tempo. Uma fadiga se instala gradativamente e não passa após períodos de descanso e relaxamento. Fazer o trabalho diário demanda mais energia e esforço sem que se consiga, entretanto, obter os mesmos resultados. Isso resulta em frustração e em uma atitude cínica.

A pessoa afetada, em seguida, tem um sentimento de fracasso e incompetência. Esta baixa na autoestima gera uma desmotivação constante e dificuldades de concentração e em tomadas de decisão. No pior dos casos, pensamentos suicidas podem surgir.

Constata-se, também, sintomas físicos em pessoas afetadas pela síndrome de burnout. Além de exaustão crônica, elas podem sentir enxaquecas, cefaleias (dores de cabeça), dores musculares, taquicardia, insônia, falta de apetite acompanhada de perda de peso, problemas digestivos, bem como uma maior predisposição a doenças e infecções (gripe, otite, sinusite ...).

Causas de uma síndrome de burnout

A síndrome de burnout é causada pelo dia-a-dia em uma empresa fonte de tensões crônicas. Estas tensões podem ser causadas por uma sobrecarga de trabalho, uma grande pressão em relação aos prazos ou resultados, a falta de reconhecimento (sem uma recompensa adequada ou salário insuficiente), a falta de controle sobre as decisões ou posições tomadas, o medo de perder o emprego, relações exigentes com os clientes, relacionamento social ruim e má comunicação entre colegas ou com a hierarquia.

A vida fora do mundo do trabalho também pode ter um papel no aparecimento da doença. Uma pessoa solitária ou, ao contrário, com muitas responsabilidades familiares é mais propensa a sofrer a doença. No entanto, mesmo que o elemento desencadeador possa ser muito individual, a síndrome do esgotamento profissional geralmente se forma em um ambiente de estresse compartilhado por muitos, entre empregados e empregadores.

Síndrome de burnout: tratamento

O tratamento da síndrome de burnout (como prevenção) busca eliminar ou, pelo menos, reduzir o estresse crônico. Ele passa primeiro por uma interrupção do trabalho e um repouso mais ou menos longo, dependendo do caso. Mas isso não é suficiente. É importante seguir um tratamento psicológico para conhecer a origem do estresse e pode tratá-la. Entre as diferentes terapias possíveis, a terapia cognitivo-comportamental geralmente é mais utilizada, em grupo ou individualmente.

Antidepressivos ou ansiolíticos podem ser prescritos pelo médico, mas não devem ser consumidos por um período longo.

Escrito por Bruna Moura
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações