Sepse: urinária, pulmonar e neonatal. O que é sepse?
Sepse: urinária, pulmonar e neonatal. O que é sepse?

Sepse: urinária, pulmonar e neonatal. O que é sepse?

A sepse, ou septicemia, é uma infecção de origem bacteriana. Nos casos mais graves, ela resulta em um choque séptico. Quais são seus sintomas e qual é seu tratamento?

O que é sepse?

A sepse, ou septicemia, é uma infecção generalizada do organismo de origem bacteriana. Ela se manifesta por descargas repetidas de germes patogênicos no sangue a partir de um foco infeccioso.

A sepse pode levar, em casos mais graves, a um choque séptico. Trata-se de um estado de choque acompanhado por hipotensão arterial. É potencialmente fatal. Estima-se que a cada 3 ou 4 segundos alguém morre de sepse no mundo.

Sintomas da sepse

Inicialmente a evolução da sepse é silenciosa. O germe está presente no corpo, mas não há nenhum sinal visível. Quando o sistema imunológico o percebe, reage e responde à agressão lançando uma resposta inflamatória contra o intruso.

A sepse é caracterizada por, pelo menos, dois entre os quatro seguintes sintomas:

- Febre acima de 38°C ou hipotermia acompanhada por calafrios

- Taquicardia (aceleração do ritmo cardíaco)

- Frequência respiratória elevada (superior a 20 por minuto)

- Alterações das taxas de glóbulos brancos no sangue (leucocitose inferior a 4000 ou superior a 12.000 por milímetro cúbico do sangue)

Uma sepse grave também se manifesta com uma queda da pressão arterial ou problemas nos órgãos afetados pela infecção (insuficiência renal, cardíaca...) e pode levar a uma gangrena e amputação.

Causas da sepse

A sepse geralmente afeta pessoas cujas defesas imunológicas estão enfraquecidas. Na maioria das vezes, ela aparece após uma infecção respiratória, como uma pneumonia ou uma peritonite, uma infecção urinária, ou, ainda, uma infecção intestinal.

Tratamento: como tratar a sepse?

O diagnóstico da sepse é feito por meio de uma coleta de sangue. As hemoculturas permitem determinar o germe responsável pela doença e, dessa forma, adaptar seu tratamento.

A sepse requer uma hospitalização rápida. Quanto mais cedo o paciente é tratado, maiores são as chances de sobrevivência. O tratamento se baseia na antibioticoterapia, assim como no tratamento dos órgãos vitais deficientes, em caso de sepse grave. Trata-se de perfusões intravenosas de dopamina, oxigênio ou adrenalina. A cirurgia também pode ser necessária em alguns casos para eliminar o foco infeccioso.

A duração do tratamento da sepse depende da gravidade da infecção. Ele geralmente dura cerca de duas semanas. A recuperação da sepse, no entanto, é muito mais longa.

Escrito por Bruna Moura
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações