Sarampo: sintomas, transmissão, tratamento e vacina
Sarampo: sintomas, transmissão, tratamento e vacina

Sarampo: sintomas, transmissão, tratamento e vacina

O sarampo é uma infecção viral que pode acometer crianças e adultos. Apesar da incidência da doença ter diminuído bastante graças à vacinação, ela vem ressurgindo há alguns anos. Mas quais são os sintomas do sarampo e como podemos tratá-lo? Confira as explicações.

O que é o sarampo?

O sarampo é uma infecção viral que se manifesta por um ataque às vias respiratórias. Trata-se de uma doença extremamente contagiosa que ataca principalmente crianças, mas que pode acometer pessoas de todas as idades. Ao contrário do que muitos pensam, o sarampo é uma doença grave que pode conduzir a sérias complicações e até mesmo a morte.

Em escala mundial, o sarampo ainda é uma calamidade e uma das maiores causas de morte entre crianças pequenas. De acordo com estatísticas, ele infecta mais de 20 milhões de pessoas a cada ano e em 2008 matou 164 mil pessoas, sendo a maioria crianças com menos de 5 anos.

Causas e transmissão: o que provoca o sarampo?

O sarampo é uma doença contagiosa causada por um vírus da família Paramyxoviridae. Ele é transmitido na maioria dos casos por via aérea quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou cospe, mas também pode ser passado através de objetos contaminados. O doente fica extremamente contagioso durante o período de incubação, que dura dez dias, e durante os primeiros quatro dias da doença (a partir do aparecimento dos sintomas).

As crianças não vacinadas são as mais vulneráveis ao sarampo, mas todas as pessoas não vacinadas são suscetíveis à infecção. Em especial, o sarampo representa um risco para as mulheres grávidas não vacinadas.

Sintomas: como reconhecer o sarampo?

Os primeiros sintomas aparecem geralmente 10 dias após a infecção. Observamos então:

- febre

- nariz escorrendo

- olhos vermelhos e lacrimejantes característicos da conjuntivite

- em caso de conjuntivite, sensibilidade à luz

- tosse seca

- dor de garganta

- fadiga e um mal-estar geral

Após a aparição desses sintomas, surgem pontos brancos característicos do sarampo, chamados de manchas de Koplik, na mucosa da boca. Alguns dias depois, aparecem erupções cutâneas. Elas começam indo da parte de trás das orelhas até o rosto e se espalham para o tronco e para as extremidades, adquirindo a forma de pequenas manchas vermelhas ligeiramente em alto relevo.

Em geral, a erupção desaparece em 5 ou 6 dias. Os outros sinais, por sua vez, desaparecem após alguns dias, com exceção da tosse, que costuma permanecer até o final da doença. A cura ocorre cerca de dez dias após a aparição dos primeiros sintomas.

Tratamento: como cuidar do sarampo?

Não existe nenhum tratamento específico contra o sarampo simples. Por ser viral, os antibióticos são surtem efeito. No entanto, um tratamento a base de paracetamol ou ibuprofeno pode ser prescrito para aliviar os sintomas, especialmente a febre. Deve-se evitar dar aspirina para crianças nos casos de sarampo porque ela pode desencadear uma doença rara e grave chamada de Síndrome de Reye.

Com respeito à conjuntivite, é recomendado lavar os olhos com soro fisiológico e evitar luzes fortes. Também se indica adotar medidas de higiene para evitar a contaminação. Todo caso de sarampo requer acompanhamento médico e deve ser notificado obrigatoriamente às autoridades sanitárias. Ao menor sintoma, um médico deve ser consultado.

Prevenção e vacina contra o sarampo

O melhor meio de se proteger do sarampo é através da vacinação. A vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) é bem tolerada e se tornou muito comum para crianças pequenas. A imunização é feita em duas doses, a primeira geralmente aos 12 meses e a outra entre 16 e 18 meses. Caso não tenha sido vacinado na infância, é recomendado informar ao seu médico se você já teve alguma das três doenças em questão.

Escrito por Helena Barros
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações