Pneumotórax:  sintomas, causas e tratamento. O que é pneumotórax?

Pneumotórax: sintomas, causas e tratamento. O que é pneumotórax?

O pneumotórax consiste em um descolamento e uma retração do pulmão. Muitas vezes benigno, o pneumotórax é facilmente controlado, mas pode se tornar perigoso em alguns casos. Confira quais são os sintomas e como deve ser tratado um pneumotórax.

Definição: o que é pneumotórax?

O pneumotórax é provocado pela entrada de ar na cavidade pleural. A parte interna da caixa torácica e o interior dos pulmões são recobertos de uma fina membrana chamada pleura, que é dividida em duas camadas. Quando respiramos, as pleuras deslizam uma sobre a outra. A “cavidade pleural” é o espaço virtual que delimita a fronteira entre as duas.

Normalmente as duas camadas se encostam e esse espaço não existe, mas às vezes a cavidade se enche de ar. É este fenômeno que chamamos de pneumotórax. A presença do ar na pleura provoca um descolamento e leva a um colapso de um ou dos dois pulmões, o que dificulta a respiração. O pneumotórax pode ser espontâneo, traumático ou secundário a uma doença pulmonar.

Causas: o que provoca o pneumotórax?

O pneumotórax espontâneo (primário ou idiopático) é a forma mais frequente. Ele ocorre na maioria das vezes em jovens saudáveis, mas acomete também recém-nascidos. As causas não são bem compreendidas, mas geralmente é provocado pela ruptura espontânea de uma bolha no pulmão. Trata-se, na maioria das vezes, de um pneumotórax de baixa gravidade em pulmões saudáveis e se cura com facilidade.

O pneumotórax secundário, por sua vez, é provocado por uma doença pulmonar. Ele pode estar ligado a uma fibrose pulmonar, um enfisema, a asma, uma fibrose cística, uma doença infecciosa pulmonar e, mais raramente, um câncer.

Por último, o pneumotórax traumático é provocado por um acidente. Ele é causado por um ferimento, como um golpe de faca, ou pode ser iatrogênico, ou seja, ocasionado por uma punção ou outro procedimento médico.

Sintomas: como reconhecer um pneumotórax?

O pneumotórax se caracteriza à princípio por uma dificuldade de respirar e por uma tosse seca. Esse problema respiratório provoca ansiedade com frequência. Causa também uma dor localizada na altura da caixa torácica que pode variar de um simples incômodo a uma dor muito forte. De acordo com a gravidade do distúrbio, complicações como uma aceleração do ritmo cardíaco podem acontecer.

Tratamentos: como tratar o pneumotórax?

No caso de um pneumotórax espontâneo, recomenda-se um período de repouso, acompanhado de tratamento médico com analgésicos, se necessário. A cura pode levar de alguns dias a três semanas.

Quando o pneumotórax é mais grave, o médico pode retirar o ar contido na cavidade pleural com a ajuda de uma agulha, de um cateter ou de um dreno. Esse tratamento exige anestesia local e geralmente cura em alguns duas. Quando o pneumotórax é muito debilitante, grave e/ou recorrente, o médico pode optar por uma intervenção cirúrgica. O objetivo é unir as duas membranas pleurais para que não possam mais se separar uma da outra e deixar passar o ar.

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

Essa operação geralmente é feita com a ajuda de vídeo, com a inserção de uma pequena câmera no interior da cavidade pleural. A técnica empregada em seguida varia: pode ser realizada uma talcagem pleural (inserção de talco entre as duas pleuras) ou uma abrasão pleural (abrasão das duas pleuras para uni-las).

Helena Barros
Sem Internet
Verifique suas configurações