Pneumonia: bacteriana, viral. Quais são os sintomas da pneumonia, que tratamento e é contagiosa?
Pneumonia: bacteriana, viral. Quais são os sintomas da pneumonia, que tratamento e é contagiosa?

Pneumonia: bacteriana, viral. Quais são os sintomas da pneumonia, que tratamento e é contagiosa?

A pneumonia é uma infecção respiratória muito comum. Contagiosa, ela pode ser grave, especialmente em indivíduos debilitados. Quais são seus sintomas e como tratá-la?

O que é pneumonia?

A pneumonia é uma das infecções respiratórias mais comuns. Trata-se de uma infecção aguda que afeta os pulmões, mais precisamente as vias aéreas inferiores. Pode ser causada por diferentes tipos de germes: bactérias, vírus ou fungos.

No entanto, na maioria dos casos, a origem da pneumonia é uma bactéria chamada pneumococo. A pneumonia pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum em indivíduos frágeis, incluindo crianças e idosos. O tabagismo, doenças respiratórias crônicas e uma deficiência imunológica também são fatores de risco para a pneumonia.

Após os germes presentes no ar entrarem nos pulmões, eles viajam através das vias aéreas até os alvéolos, onde eles provocam uma inflamação. Em seguida, o pus e as secreções acumulam-se nessas pequenas bolsas, provocando os sintomas da doença.

Sintomas de pneumonia

Os sintomas de pneumonia variam de acordo com o germe e com o estado de saúde da pessoa afetada. Os sinais mais comuns são:

- Febre alta (até 41°C) com calafrios

- Tosse seca no início que, posteriormente, torna-se expectorante e pode ser acompanhada por secreções verdes ou amareladas

- Falta de ar, aumento da frequência respiratória e cardíaca

- Um desconforto respiratório 

- Dores no peito ao tossir ou respirar

Estes sinais podem ser acompanhados por uma grande fadiga, dores de cabeça, náuseas, vômitos ou diarreia. No entanto, em algumas pessoas sensíveis, a pneumonia pode manifestar-se com sinais mais graves como confusão mental, um grande aumento da frequência cardíaca e respiratória, hipotermia, queda da pressão arterial.

As crianças pequenas também podem ter dificuldade em se alimentar, beber e podem até mesmo ter convulsões. Todos estes sintomas sinalizam a necessidade de consultar rapidamente um médico.

Pneumonia: tratamento

Para estabelecer o diagnóstico, o médico investiga os sintomas do paciente. Durante o exame, ele ouve os pulmões em busca de ruídos "anormais", mas é uma radiografia do tórax que permite confirmar o diagnóstico. Ele vai identificar a presença ou ausência de um surto infeccioso.

Uma vez diagnosticada, o tratamento da doença dependerá do germe envolvido. Se tratar-se de um pneumococo ou de outra bactéria, antibióticos serão receitados. O tratamento dura, geralmente, de 7 a 15 dias. Se os sintomas não melhorarem, especialmente se a febre não baixar, uma nova consulta é necessária para que o médico possa prescrever um outro tratamento.

Em geral, a pneumonia evolui positivamente em quinze dias, a febre desaparece após 48 a 72 horas. Se a doença for grave ou se houver risco de complicações, uma hospitalização pode ser necessária. A maioria dos pacientes hospitalares são bebês, crianças pequenas, idosos ou pessoas imunocomprometidas.

A pneumonia pode provocar complicações como uma sepse, que ocorre quando o germe se espalha na corrente sanguínea e atinge outros órgãos, uma pleurisia, que é a inflamação da pleura, ou um abcesso no pulmão.

Como prevenir a pneumonia?

Em pessoas em risco (por exemplo, com idade acima de 65 anos), é possível a utilização de uma vacina contra a pneumonia. Fabricada a partir de cepas dos pneumococos que mais causam a doença, a vacina chamada Pneumo 23 protege de infecções invasivas que são mais graves e podem ser fatais. Uma vez realizada, a vacinação continua eficaz durante vários anos (5 anos).

Escrito por Bruna Moura
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações