Herpes: labial, genital. Que pomada para herpes e tem cura?

Herpes: labial, genital. Que pomada para herpes e tem cura?

Herpes é uma doença viral contagiosa que se caracteriza pelo aparecimento de pequenas bolhas (vesículas) agrupadas. Existem dois tipos da doença: a labial (boca) e a genital (órgãos sexuais). Devido ao seu contágio, o herpes deve ser acompanhado de perto para evitar que se propague. Vamos falar sobre o vírus, causas, formas de transmissão e como tratar essa doença.

O que é herpes?

O herpes é uma doença viral e contagiosa causada pelo vírus do herpes simplex (VHS) e caracterizada por afecções da pele das mucosas. Quando o herpes aparece, pequenas bolhas (vesículas) agrupadas surgem na área afetada.

Existem dois tipos do vírus do herpes: o herpes simplex do tipo 1(VHS-1), responsável pelo herpes labial, e o herpes simplex do tipo 2 (VHS -2), que causa o herpes genital. O herpes ocorre em surtos, as bolhas ficam visíveis de 6 a 10 dias e desaparecem por vários meses até reaparecer.

O herpes genital é umainfecção sexualmente transmissível (IST) que surge com pequenas bolhas dolorosas nos órgãos sexuais.

Dependendo da região do planeta, de 50 a 90% da população já foi infectada com o VHS -1. A primeira infecção ocorre antes dos 20 anos, muitas vezes ainda durante a pequena infância. No entanto, a maioria das pessoas tem o vírus, mas ele permanece inativo.

A infecção do VHS-2 é diferente, ela geralmente ocorre na idade adulta, entre 20 e 40 anos. Na Europa, o herpes genital não é muito propagado, mas é muito comum na África, onde 30 a 40% das pessoas são infectadas, chegando até mesmo a 90% em algumas áreas.

Causas: de onde vem o herpes?

O vírus do herpes é muito contagioso. Principalmente para as pessoas que nunca estiveram em contato com o vírus, mulheres grávidas e crianças. O período de maior risco de transmissão do vírus é quando as bolhas estouram. A partir desse momento, tudo o que entra em contato com a ferida é uma fonte potencial de transmissão.

É necessário, ainda, notar que o vírus pode estar latente, isto quer dizer que uma pessoa pode estar com o vírus sem apresentar nenhum sintoma e o transmite através da saliva ou de algum outro modo, sem ter consciência disso.

Em relação ao VHS-2, ou herpes genital, o herpes é espalhado, na maioria das vezes, durante relações sexuais vaginais ou anais desprotegidas com uma pessoa já infectada. Durante a penetração, os vírus contidos nas vesículas penetram o corpo de seu novo hospedeiro por lesões microscópicas presentes na pele ou nas mucosas. No entanto, é impossível contrair o herpes genital pelo contágio indireto, ou seja, pelo contato com objetos usados anteriormente por pessoas infectadas (banheiros, toalha, água ...) porque, uma vez fora do corpo, o vírus morre rapidamente.

Em adultos, de forma mais rara, os beijos, assim como os contatos sexuais orais/genitais, podem transmitir a doença. Também ocorre a transmissão do vírus em um mesmo hospedeiro, o vírus pode ser transmitido, pelos dedos do hospedeiro, dos órgãos genitais à boca ou aos olhos, por exemplo. Assim, o herpes labial pode causar herpes genital e vice-versa.

Quais são os sintomas do herpes?

Herpes labial: Durante a primeira crise de herpes labial, na maioria das vezes, não há sintomas. Eventualmente, especialmente em crianças pequenas, a boca inteira pode ser atingida, levando a uma gengivoestomatite aguda. As recorrências (períodos de reativação do herpes) são precedidas por formigamento, coceira, queimação, inchaço na borda dos lábios e um mal-estar geral, incluindo fadiga e febre. Depois de um período de algumas horas a um dia, pequenas bolhas vermelhas e dolorosas aparecem ao redor da boca. Cheias de um líquido, elas eventualmente estouram, e depois formam uma crosta.

Herpes genital: O herpes genital se caracteriza essencialmente da mesma maneira que o herpes labial, com exceção do aparecimento de gânglios inchados na virilha. Após os surtos de herpes, aparecem pequenas bolhas. Em homens, estas vesículas podem ser vistas no pênis, nádegas, escroto, coxas, ânus e uretra. Nas mulheres, as vemos na entrada da vagina, nádegas, na vulva e o colo do útero.

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

Tratamento: como tratar o herpes?

Ainda não existe nenhum tratamento que elimine definitivamente o vírus do corpo. O tratamento, portanto, busca eliminar os sintomas com medicamentos quando uma crise surge. Entre eles, o paracetamol, a pomada de aciclovir ou docosanol...

Para o herpes genital, o tratamento é o mesmo, no entanto, quando as crises são frequentes, o médico pode prescrever dosagens diferentes para uma duração prolongada, de um ano ou mais. Ingerir estes medicamentos por um longo tempo reduz as crises ou, até mesmo, as fazem parar e também, consequentemente, diminuem os riscos de transmissão, reduzindo as chances de recorrência de 85 a 90%. Atenção: não utilize pomadas de venda livre, principalmente as que são à base de antivirais. Elas só são utilizados para o herpes labial.

Bruna Moura
Sem Internet
Verifique suas configurações