Hepatite B: sintomas, tratamento, transmissão. Hepatite B tem cura?
Hepatite B: sintomas, tratamento, transmissão. Hepatite B tem cura?

Hepatite B: sintomas, tratamento, transmissão. Hepatite B tem cura?

A hepatite B é uma doença infecciosa. Este é o tipo de hepatite viral mais comum e mais mortal. Também é o único tipo que tem uma vacina. Quais são seus sintomas e como é transmitida?

O que é hepatite B?

A hepatite B é uma doença infecciosa causada por um vírus de mesmo nome que provoca inflamação do fígado. É a hepatite viral mais comum e mais mortal dentre as hepatites virais.

A hepatite B pode assumir uma forma crônica (infecção que dura mais de seis meses) e causar riscos significativos de morte por cirrose ou câncer hepático.

Cerca de 240 milhões de pessoas são atingidas por uma infecção crônica do vírus da hepatite B (VHB) no mundo. Mais de 780.000 pessoas morrem por essa doença a cada ano.

Uma vacina contra a hepatite B existe desde 1982. É eficaz em 95% dos casos. Também é o único vírus que provoca uma hepatite viral crônica que tem uma vacina.

Hepatite B: sintomas

A hepatite B aguda frequentemente é assintomática. Quando existe algum sintoma, os sinais clínicos são semelhantes aos da gripe: febre, grande fadiga, distúrbios digestivos, perda de apetite, náuseas e vômitos.

A cada três casos, uma pessoa infectada também apresenta sintomas de inflamação do fígado com ou sem icterícia. O período de incubação é de 75 dias, em média, mas pode variar entre 40 e 180 dias.

Para 10% dos pacientes, a infecção persiste e evolui para uma hepatite B crônica. No entanto, não existem sintomas aparentes. As lesões do fígado podem causar complicações tardias, como uma cirrose ou um câncer do fígado.

Hepatite B: transmissão

O vírus da hepatite B é extremamente contagioso. Sua transmissão se dá por todos os fluidos biológicos, principalmente via sanguínea (injeções, transfusões) ou sexual. É 50 a 100 vezes mais contagioso do que o vírus da AIDS (HIV).

O modo de infecção mais comum é o uso de seringas ou agulhas não esterilizadas durante injeções intravenosas ou tatuagens, piercings ou, ainda, acupuntura. O VHB também pode ser transmitido da mãe para o filho durante a gravidez ou o parto, se não for tratada.

Quando a hepatite B não é curada, os fluidos corporais (sangue e esperma) são contagiosos. A saliva também pode conter o vírus em caso de hepatite aguda ou muito ativa. No entanto, as transmissões pela saliva são raras e acontecem apenas em condições muito específicas, por exemplo, no caso de uma mucosa oral lesionada.

Hepatite B: tratamento

É muito difícil erradicar o VHB no organismo quando a hepatite B se encontra na sua fase crônica. De fato, o genoma do vírus pode integrar-se nas células infectadas. Por isso é importante realizar uma detecção precoce e se vacinar. O tratamento contra a hepatite B não permite curar a doença, mas tem por objetivo controlar a multiplicação do vírus.

Dois tratamentos diferentes podem ser propostos, dependendo do paciente. O primeiro baseia-se no uso de análogos de nucleósido, moléculas que impedem a replicação do vírus. O segundo é baseado no uso de interferon alfa durante 6 a 12 meses. Ele é um imunomodulador cujo papel é o de tornar o vírus inativo e é eficaz em um terço dos casos.

Como pesquisas recentemente trouxeram novidades terapêuticas no quadro da hepatite C, progressos também são esperados no tratamento contra a hepatite B.

Escrito por Bruna Moura
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações