Glaucoma: sintomas, tratamento, colírio. O glaucoma tem cura?
Glaucoma: sintomas, tratamento, colírio. O glaucoma tem cura?

Glaucoma: sintomas, tratamento, colírio. O glaucoma tem cura?

O glaucoma é a segunda principal causa de cegueira após a degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Mais de 70 milhões de pessoas são afetadas mundialmente. O glaucoma pode ser tratado, mas também pode levar à cegueira se não for detectado a tempo. Voltemo-nos sobre esta doença.

O que é glaucoma?

O glaucoma é uma doença ocular que afeta principalmente pessoas com mais de 45 anos. Ele caracteriza-se por lesões do nervo óptico, o nervo que parte da retina atrás do olho e transporta as imagens até o cérebro. Quando este nervo é danificado, o campo visual é reduzido, a visão é alterada e pode conduzir a uma cegueira em longo prazo.

Trata-se de uma doença evolutiva que pode não ter nenhum sintoma durante um longo tempo, mas existem vários tipos de glaucoma:

- O glaucoma crônico de ângulo aberto: é a forma mais comum da doença (90% dos casos). É causado pelo fechamento gradual do filtro de escape do humor aquoso. Neste caso, a alteração da visão é lenta e indolor, sem causar desconforto no início, o que torna o diagnóstico difícil.

- O glaucoma de ângulo fechado (glaucoma agudo): é devido a uma anomalia da anatomia do olho que impede a evacuação do humor aquoso, através da malha trabecular, que permanece bloqueado principalmente atrás da íris. A pressão no interior do olho aumenta então fortemente. Os sintomas do glaucoma de ângulo fechado são característicos. Desde o momento em que aparece, é necessário tratar o glaucoma urgentemente para que se evite a cegueira.

- Glaucomas secundários: eles são causados por traumatismos, como um choque no olho ou uma doença inflamatória ou congênita.

Quais as causas do glaucoma?

Na maioria dos casos, o glaucoma está relacionado a um aumento da pressão no interior do olho, também conhecida como a hipertensão intraocular. A saber, um líquido é produzido continuamente no interior do olho, trata-se do humor aquoso. Ele é evacuado através de um filtro situado no ângulo entre a íris e a córnea, chamado malha trabecular. Quando a evacuação desse líquido é obstruída, a pressão no interior do globo ocular aumenta anormalmente e provoca uma alteração das fibras dos nervos ópticos.

Há diversos fatores de risco propícios a esta doença. O aumento da pressão intraocular (acima de 21 mm Hg) é o principal fator de risco para o glaucoma. No entanto uma hipertonia (ou hipertensão) não causam, obrigatoriamente, um glaucoma, ao contrário, existem glaucomas com uma pressão intraocular dentro dos limites normais.

Em segundo lugar está a idade. O glaucoma geralmente ocorre em pessoas de mais de 40 anos, e sua freqüência aumenta com o avanço da idade. O glaucoma também é hereditário, isso quer dizer que o risco aumenta quando um dos pais tem a doença. Finalmente, a miopia também é um fator de risco.

Sintomas: como detectar o glaucoma?

Na maioria das vezes, o glaucoma evolui silenciosamente e é somente em um estágio avançado que os sintomas são sentidos. Os sintomas são diferentes dependendo do tipo de glaucoma.

Glaucoma de ângulo aberto (geralmente afeta ambos os olhos):

- Ausência de sintomas de 10 a 12 anos

- Visão periférica perturbada

- Eventualmente, dores oculares e dores de cabeça

Glaucoma de ângulo fechado (geralmente só afeta um olho):

- Forte dor ocular

- Visão turva de repente

- Visão de halos (círculos de luz) coloridos em torno de fontes luminosas

- Vermelhidão dos olhos

- Náuseas ou vômitos

Glaucoma congênito:

- olhos frequentemente lacrimejantes

- Íris com detalhes borrados

- Alta sensibilidade à luz

Os sintomas podem aparecer alguns meses após o nascimento.

Glaucoma: sintomas e colírio para o glaucoma

Infelizmente, não existe tratamento curativo para o glaucoma e a acuidade visual perdida não pode ser recuperada. O tratamento do glaucoma consiste em prevenir ou retardar sua evolução e seus danos subsequentes, melhorando a circulação do fluxo do humor aquoso, o que irá diminuir a pressão no interior do olho. Existem três categorias de tratamento.

- Tratamentos medicamentosos: colírios que ajudam a reduzir a pressão no olho. Eles são preferidos em relação aos medicamentos de via oral porque eles causam menos efeitos colaterais. Existem vários tipos, entre eles, os beta-bloqueadores, os agentes alfa-adrenérgicos, os análogos à prostaglandina, os inibidores da anidrase carbônica e mióticos. A maioria reduz a produção do humor aquoso, aumentando sua excreção (eliminação). Este tratamento é muito eficaz se a dosagem é respeitada, e se é tomado durante toda a vida sem interrupção. No entanto, ele pode apresentar efeitos colaterais, por isso é recomendável consultar um médico.

- O laser: quando os tratamentos medicamentosos não funcionam mais, um tratamento a laser pode ser oferecido. Isso facilita a evacuação do humor aquoso. Os resultados geralmente não são definitivos, mais tarde, pode ser necessário reforçar ou retomar o tratamento com colírio por alguns meses ou por alguns anos.

- Operação cirúrgica: No caso em que o glaucoma resiste aos tratamentos anteriores e que a visão continua a diminuir, o glaucoma pode ser operado em regime ambulatorial. A operação consiste em criar uma nova via de evacuação do humor aquoso para manter a pressão normal dentro do olho. Mesmo que a cirurgia pare a progressão do glaucoma, ela não permite que se recuperem as capacidades visuais perdidas.

É necessário saber que todos os tratamentos de glaucoma aumentam o risco de desenvolvimento de uma catarata (perda de transparência do cristalino), incluindo tratamentos cirúrgicos.

Escrito por Bruna Moura
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações