Dor nas costas: o que pode ser? Sintomas e tratamento da lombalgia
Dor nas costas: o que pode ser? Sintomas e tratamento da lombalgia

Dor nas costas: o que pode ser? Sintomas e tratamento da lombalgia

A lombalgia, ou dor lombar, é uma dor na parte inferior das costas e é a principal causa de afastamento do trabalho no mundo. Representa 30% das causas de invalidez e afeta 10% da população mundial. Suas origens são várias, mas às vezes ela pode esconder um problema mais sério. Quais são as causas da lombalgia e como aliviá-la? Explicaremos estas e outras questões a seguir.

Definição: O que é a lombalgia?

A lombalgia é o tipo de dor nas costas mais comum. Trata-se de uma enfermidade muito frequente e benigna. "Lombalgia" é um termo médico que designa as dores na parte inferior das costas na região das vértebras lombares. Estas vértebras são muito solicitadas, já que sustentam uma grande parte do peso do corpo, o que torna a região frágil.

De acordo com estimativas, mais de 80% das pessoas sofrem ou vão sofrer de lombalgia em algum momento da vida e essa porcentagem está aumentando constantemente. Também conhecida como lumbago ou dor lombar, a lombalgia não discrimina idade, mas, na maior parte dos casos, começa na adolescência ou em torno de 45 anos.

Além disso, essa dor nas costas pode levar a diferentes dores categorizadas em três tipos. Fala-se de dor aguda quando ela dura até 4 semanas. Pode ser muito incômoda e causar um afastamento do trabalho. No entanto, é altamente tratável e desaparece ou melhora sozinha dentro de poucos dias.

Quando a dor persiste por mais de 4 semanas, é chamada de dor subaguda. Esta dor pode tornar-se crônica, e é por isso que é necessário ficar atento e acompanhar de perto a doença. Finalmente, quando a dor dura mais de 3 meses é chamada de dor crônica. Suas causas às vezes são difíceis de determinar e as pessoas que a sofrem, muitas vezes, devem pensar em mudar seu estilo de vida.

Quais são as causas da lombalgia?

Em 90% dos casos, a dor nas costas é benigna ou "não específica", o que significa que não é causada por lesões maiores. Geralmente a causa é, portanto, principalmente mecânica e ligada aos discos intervertebrais, às vértebras, etc. Na maioria dos casos, portanto, é difícil determinar com precisão a causa de uma lombalgia.

Por esta razão, o médico não prescreve um exame de imagem se não houver nenhuma situação específica ou nenhum sinal característico preocupante. Na presença de sintomas neurológicos, um exame de imagem é indicado e, em casos raros, a lombalgia pode sinalizar uma doença grave.

As causas mais comuns dos casos sérios de lombalgia são uma lesão em um músculo, ligamento ou tendão, degeneração discal, hérnia de disco, deslizamento de uma vértebra sobre outra, artrite, artrose, etc.

Alguns fatores podem aumentar o risco de lumbago, tais como idade, gravidez ou insuficiência muscular. Alguns esforços físicos ligados à atividade profissional ou ao lazer que envolvem posturas inadequadas ou levantar peso, por exemplo, também podem ter um papel no desenvolvimento da lombalgia.

Sintomas: como identificar a lombalgia?

A lombalgia é mais um sintoma em si mesmo do que uma doença e indica, sobretudo, o sinal de uma lesão ou um problema subjacente. Devido à sua localização variada e às múltiplas causas da lombalgia, os sintomas podem variar de uma pessoa para outra.

A lombalgia se apresente, frequentemente, por dores lombares na parte inferior das costas. Essa dor pode irradiar para uma ou ambas as pernas, nesse caso, a lombalgia pode ser o sintoma de uma nevralgia ciática, isto é, um pinçamento do nervo ciático. Este tipo de dor também pode ser o sinal de uma hérnia de disco.

Finalmente, quando a dor intensifica-se à noite, ela pode ser causada por uma inflamação, um tumor ou órgão doente.

Tratamento: como aliviar a lombalgia?

Em caso de lombalgia, o repouso em cama geralmente não é recomendado. Foi demonstrado que ele pode ser ineficaz ou mesmo prejudicial. Se necessário, o repouso na cama não deve exceder 48 horas. A pessoa deve, então, movimentar-se, mesmo se a dor persistir. Uma retomada gradual das atividades físicas favorece a restauração da função muscular e, assim, a cura.

Dessa maneira, o afastamento do trabalho nem sempre é essencial. Isso depende da natureza do trabalho: se for sedentário, o afastamento não é obrigatório, se ele for físico, um afastamento de alguns dias a cinco semanas pode ser prescrito pelo médico, dependendo da gravidade.

Além desses tratamentos, a lombalgia geralmente é tratada com medicação. O médico pode prescrever analgésicos, anti-inflamatórios não esteroides e relaxantes musculares (miorrelaxantes) para aliviar a dor. Se essas dores forem intensas, o médico poderá prescrever injeções de corticoides.

Escrito por Bruna Moura
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações