Doença de Lyme: sinais, sintomas. O que é a doença de Lyme?

Doença de Lyme: sinais, sintomas. O que é a doença de Lyme?

A doença de Lyme é uma infecção causada pela picada de um carrapato. Seus sintomas são extremamente variados, o que torna o diagnóstico difícil. Qual é o tratamento e o que deve ser feito para evitá-la?

Definição: o que é a doença de Lyme?

A doença de Lyme é uma infecção bacteriana transmitida pela picada de um carrapato contaminado. Ela também é chamada de “borreliose de Lyme” por causa do nome da bactéria que provoca a infecção, a Borrelia.

Ainda pouco compreendida, a doença de Lyme vem crescendo bastante no hemisfério norte. De acordo com o Ministério da Saúde francês, o número de casos na França é estimado em 27 mil.

Sintomas da doença de Lyme

Os sintomas da doença de Lyme evoluem em três grandes fases. Na primeira fase, entre três e trinta dias após a picada, uma placa vermelha chamada de eritema crônico migratório (ECM) aparece ao redor do local da mordida. Em seguida, ela se estende lentamente, podendo chegar a dez centímetros, enquanto que o seu centro clareia.

Por não ser dolorosa ou pruriginosa (não causa coceira), a lesão passa despercebida em cerca de metade dos casos. Uma fase secundária de sintomas pode então surgir semanas ou meses após o desaparecimento do ECM. No Brasil, a doença é rara e foi diagnosticada pela primeira vez em 1992. Em geral, as manifestações mais frequentes são neurológicas, se caracterizando principalmente por uma inflamação das raízes dos nervos no local da picada, meningite ou paralisia facial.

Os sintomas da doença de Lyme variam de uma pessoa a outra, mas os outros distúrbios relatados são febre, muita fadiga, erupção cutânea, problemas cardíacos ou reumatológicos (artrite).

Quando não tratada, uma última fase pode se manifestar meses ou mesmo anos após o início da infecção. Nesses casos, as consequências são muito graves e atingem vários órgãos do corpo: cérebro, coração, olhos, músculos e articulações.

Diagnóstico da doença de Lyme

Por conta da diversidade de sintomas, a doença de Lyme não é fácil de diagnosticar e é frequentemente confundida com outras patologias. Os testes sorológicos existentes, feitos através de análise de sangue, não são 100% confiáveis e podem ter diferentes interpretações.

É muito importante consultar seu médico assim que o ECM aparecer, já que quanto mais cedo a borreliose é detectada, mais eficaz é o tratamento. Nas fases secundária e terciária, também será necessário realizar exames complementares mais aprofundados.

Tratamento da doença de Lyme

O tratamento da doença de Lyme é feito com antibióticos por via oral. Vários antibióticos são eficazes contra a batéria Borrelia.

O objetivo principal do tratamento é diminuir e fazer desaparecerem os sintomas e evitar a evolução da doença a uma fase mais grave. No estágio inicial, são necessárias cerca de duas ou três semanas para que ele seja eficaz.

Caso a doença tenha atingido um estágio avançado e certas complicações tenham se tornado crônicas, os antibióticos não irão, necessariamente, fazê-las desaparecer.

Prevenção da doença de Lyme

Infelizmente, não existe uma vacina eficaz contra a doença de Lyme. Portanto, o melhor meio de preveni-la é adotar medidas de segurança para evitar mordidas de carrapato.

Na época de risco, do início da primavera ao fim do outono, deve-se usar roupas que cubram as pernas, os braços e o pescoço quando fizer um passeio em florestas ou ao ar livre.

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

Também recomenda-se fazer uma inspeção ao retornar do passeio. Em caso de picada, é preciso retirar o carrapato o mais rápido possível com uma pinça, tomando o cuidado de remover a cabeça. Uma extração realizada nas primeiras 24 horas geralmente previne a infecção.

Helena Barros
Sem Internet
Verifique suas configurações