Dispraxia: significado, sintomas e tratamento. O que é dispraxia?
Dispraxia: significado, sintomas e tratamento. O que é dispraxia?

Dispraxia: significado, sintomas e tratamento. O que é dispraxia?

A dispraxia é um transtorno de aprendizagem caracterizado por uma má coordenação motora e problemas de orientação espacial. Existem vários tipos de dispraxia, como a dispraxia visuoespacial ou dispraxia verbal.

O que é dispraxia?

A dispraxia é uma perturbação na planificação dos movimentos e atividades voluntárias. Trata-se de uma falta de jeito patológica resultante de um distúrbio da área cerebral responsável pela função motora. Ela faz parte dos transtornos específicos de aprendizagem, como a dislexia, discalculia ou disfasia.

Na maioria das vezes, a dispraxia se manifesta por dificuldades em situar elementos no espaço, orientar-se ou coordenar seu olhar. Esse tipo é conhecido como dispraxia visuoespacial. Uma criança dispráxica também pode mostrar um transtorno do desenvolvimento da coordenação (TDC) ou distúrbios da linguagem (dispraxia verbal).

A dispraxia é uma doença relativamente comum. Entre 3 e 7% das crianças de cinco a onze anos são afetadas pela doença.

Dispraxia: sintomas

Diversos sinais permitem reconhecer uma dispraxia:

- A má coordenação dos movimentos voluntários

- Falta de jeito

- Dificuldade na orientação espacial

- Dificuldade em desenhar e escrever

- Dificuldade em utilizar alguns objetos (tesouras, régua, compasso ...)

- Dificuldades em montar quebra-cabeças e jogos de construção

- Cansaço ao aprender novos gestos

Estes sintomas resultam numa falta de autonomia da criança. Na verdade, é difícil para ela executar tarefas simples como vestir-se, amarrar os sapatos ou cortar a carne. Ela também pode afastar-se de seus colegas por sua incapacidade em participar de certas brincadeiras.

Diagnóstico da dispraxia

O diagnóstico da dispraxia geralmente é feito por um pediatra. Uma avaliação médica completa, que inclui exames neurológicos, ortofônicos, ou de terapia ocupacional, que permitem determinar se a doença realmente é uma dispraxia e para excluir outras possíveis patologias.

Realizado por uma equipe de vários médicos (pediatra, neurologista, psicólogo, fonoaudiólogo...), essa avaliação também permite estabelecer o melhor tratamento possível.

Dispraxia: tratamento

O tratamento da dispraxia é feito por meio de um atendimento individualizado composto por várias disciplinas: terapia ocupacional, ortofonia, terapia psicomotora, ortóptica ... Essa reeducação também vem acompanhada de um apoio psicológico, assim como uma ajuda para viver com a doença no cotidiano, especialmente em sala de aula.

O computador também pode ser uma ferramenta valiosa, a sua utilização é muito mais simples para a criança com dispraxia do que escrever à mão.

Escrito por Bruna Moura
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações