Disfasia: o que é, sintomas e tratamento.
Disfasia: o que é, sintomas e tratamento.

Disfasia: o que é, sintomas e tratamento.

A disfasia é um transtorno da linguagem oral. Os sintomas abrangem, principalmente, a recepção, a expressão e a sintaxe. A doença atinge 1% das crianças e geralmente se mantém na vida adulta.

O que é disfasia?

A disfasia é um transtorno primário e duradouro do desenvolvimento e da aprendizagem. Ela faz parte dos distúrbios específicos de aprendizagem da linguagem oral, junto da dislexia, dispraxia e discalculia.

Muito pouco conhecida, a disfasia afeta cerca de 1 a cada 100 crianças. Esse número, por alguma razão inexplicável, é composto por três vezes mais meninos do que meninas. A doença é reconhecida como uma deficiência.

A disfasia manifesta-se por dificuldades em expressar-se e em armazenar informações. Não é causada por um déficit intelectual ou sensorial e nem por um distúrbio de comportamento.

Sintomas: como reconhecer a disfasia?

Os sintomas da disfasia podem ser divididos em várias grandes categorias:

- Disfasia receptiva: A compreensão da linguagem é alterada. Geralmente isso vem junto de um distúrbio fonológico e leva ao desenvolvimento limitado da expressão. A fala da criança é incoerente e repetitiva, com um vocabulário pobre.

- Disfasia expressiva: A programação e realização das palavras são alteradas. A pessoa com disfasia tem dificuldade em encontrar as palavras e, muitas vezes, utiliza palavras de preenchimento. Escrever também é uma tarefa difícil.

- Disfasia de sintaxe (ou de condução): A criança tem problemas para estruturar suas frases. Ela fala de forma telegráfica, com frases curtas ou palavras isoladas.

Dependendo dos sintomas constatados, distinguem-se diferentes tipos de disfasia. A disfasia fonológico-sintática é a mais comum. Ela reúne distúrbios fonológicos (a criança é pouco inteligível) e sintáticos.

Também existem a disfasia léxico-sintática ou amnésica (em que o vocabulário é extremamente reduzido), a disfasia semântico-pragmática (problemas de formulação), a disfasia receptiva ou agnosia auditivo-verbal (a criança não consegue associar um som a um objeto ou lugar) e a disfasia fonológica (compreensão ruim).

Diagnóstico da disfasia

O diagnóstico da disfasia só pode ser dado após uma série de exames que irá excluir outras eventuais patologias. Geralmente é feito em torno dos 5 anos de idade. A avaliação da linguagem feita pelo fonoaudiólogo também é acompanhada de uma entrevista com a família para traçar a evolução da criança. São aplicados testes de compreensão lexical e sintática, fonologia ou expressão.

Tratamento da disfasia

O tratamento da disfasia passa por uma reeducação ortofônica que deve ser o mais cedo e intensivo possível. O tratamento é pluridisciplinar (fonoaudiologia, psiquiatria, psicomotricidade, ortóptica) para acompanhar a criança ao máximo e limitar o impacto da doença sobre seu rendimento escolar. Infelizmente, a reeducação não permite, na maioria das vezes, uma cura completa. A naturopatia também pode ser seguida para ajudar a reduzir as diferenças.

Escrito por Bruna Moura
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações