Arterite temporal: sintomas, em jovens e tratamento. A arterite temporal tem cura?
Arterite temporal: sintomas, em jovens e tratamento. A arterite temporal tem cura?

Arterite temporal: sintomas, em jovens e tratamento. A arterite temporal tem cura?

A arterite temporal é uma inflamação das paredes internas dos vasos sanguíneos. Se não for tratada cedo, sua evolução pode levar a várias complicações, especialmente oculares.

O que é a arterite temporal?

A arterite temporal é uma inflamação das paredes das artérias. A mais atingida é a artéria temporal, situada nas têmporas, na raiz dos cabelos.

A arterite temporal se manifesta através de fortes dores de cabeça e dores no maxilar. Se não for tratada rapidamente, pode provocar diversas complicações graves, como um AVC ou cegueira.

As pessoas mais afetadas pela doença são as que estão acima de 50 anos. Do total, dois terços são mulheres.

Arterite temporal: sintomas

Os principais sinais clínicos da arterite temporal são dores de cabeça persistentes (cefaleia), localizadas na região de uma ou das duas têmporas. Esses sintomas geralmente são acompanhados de febre e de grande fadiga.

A claudicação da mandíbula é um dos sintomas característicos da arterite temporal. Trata-se de dores durante a mastigação ou quando a boca está muito aberta. Também pode ocorrer diminuição da acuidade visual, diplopia (visão dupla), hipersensibilidade do couro cabeludo ou perda de peso.

Causas e fatores de risco da arterite temporal

A arterite temporal provoca uma inflamação das artérias, que inflam, reduzindo a quantidade de sangue e, portanto, de oxigênio que chega aos órgãos internos. Essa diminuição do fluxo sanguíneo é que provoca a aparição dos sintomas. A causa exata desse fenômeno, entretanto, não é conhecida.

Certos fatores podem aumentar o risco de contrair a arterite temporal, tais como idade, sexo ou a Síndrome de Forestier-Certonciny.

Evolução da arterite temporal

Quando não tratada, várias complicações podem surgir de forma mais ou menos repentina. Os distúrbios oculares são os mais frequentes. O inchaço dos vasos sanguíneos oculares reduz a quantidade de sangue que chega aos olhos, provocando uma perda de visão (cegueira) ou uma paralisia dos olhos. Infelizmente, quando isso acontece, é na maioria das vezes permanente.

A arterite temporal pode atingir quaisquer artérias, como as que irrigam o cérebro ou o coração. Nesses casos, há grande risco de acidente vascular cerebral (AVC) ou de infarto. Mas, estas complicações da doença são raras.

Arterite temporal: tratamento

O tratamento da arterite temporal consiste em uma corticoterapia. Trata-se da administração de corticoides ou corticosteroides (anti-inflamatórios esteroides) como a prednisona. Quanto mais cedo começar o tratamento, mais eficaz ele será. Portanto, é recomendado dar início a ele assim que surgirem as primeiras suspeitas da doença.

Os sintomas regridem desde o começo do tratamento, mas é importante segui-lo por, pelo menos, 18 meses, reduzindo as doses dos medicamentos progressivamente com o tempo.

Certos efeitos colaterais podem surgir, principalmente nas pessoas idosas, como osteoporose, hipertensão arterial ou um glaucoma.

Escrito por Helena Barros
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações