A doença de Alzheimer seria detectável 30 anos antes dos primeiros sintomas

A doença de Alzheimer seria detectável 30 anos antes dos primeiros sintomas

Uma equipe de cientistas diz que a doença de Alzheimer pode permanecer escondida por mais de 30 anos no corpo antes de acordar. Atualmente, esta doença não pode ser curada.

Um estudo recente detectou a presença da doença de Alzheimer no corpo dos pacientes mesmo 30 anos antes do aparecimento dos primeiros sintomas.

Os pesquisadores acompanharam 290 pessoas com alto risco de desenvolver a doença já presente em suas famílias. Os cientistas foram capazes de observar mudanças biológicas nesses pacientes: 81 deles desenvolveram problemas cognitivos, demência e dificuldades para pensar corretamente.

Leia também
Discopatia: cervical, lombar, difusa. O que é discopatia degenerativa?

A análise do nível do líquido cefalorraquidiano, o líquido em que o cérebro se banha, permite detectar um aumento da taxa de proteínas tau, presente nas células neuronais e ligadas à doença. Os cientistas mediram este aumento em média 34,4 anos antes dos primeiros sintomas acordarem nos pacientes.

Uma doença ainda incurável

Este estudo ainda precisa ser desenvolvido para entender melhor como a doença se desenvolve ou como diminuir o nível de proteína tau no cérebro. No entanto, trinta anos dariam aos médicos tempo para retardar o máximo possível os efeitos nocivos da doença de Alzheimer. De fato, no momento, esta doença não pode ser curada.

A doença de Alzheimer manifesta-se por uma degeneração de neurônios que deteriora a memória, a reflexão, a noção de tempo e espaço. Esta doença desenvolve-se com a idade, os primeiros sintomas podem acontecer por volta de 65 anos e aceleram-se até os 80 anos. 

Raposo Gabriela
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações