Sophia, o primeiro "robô cidadão" do mundo, lança um alerta preocupante aos seres humanos
Sophia, o primeiro "robô cidadão" do mundo, lança um alerta preocupante aos seres humanos
Sophia, o primeiro "robô cidadão" do mundo, lança um alerta preocupante aos seres humanos
Leia mais

Sophia, o primeiro "robô cidadão" do mundo, lança um alerta preocupante aos seres humanos

Cheio de realismo, esse robô com aparência assustadoramente humana marca um avanço tecnológico incrível. Capaz de manter uma conversa real, ele é tão inteligente que ele poderia até mesmo começar a montar um complô contra nós.

Definitivamente não é mais ficção científica. Os robôs agora fazem parte da nossa paisagem e nos próximos anos eles poderão ser tão realistas que serão confundidos sem dificuldade com os seres humanos.

"Nós vamos tomar os seus empregos"

A prova é esse robô nascido da empresa de Hong Kong, Hanson Robotics, que se mexe e interage com seres humanos como uma pessoa de verdade. Batizada de "Sophia", essa android é cheia de realismo. Capaz de reproduzir mais de sessenta expressões faciais, Sophia é tão perfeita que ela pode responder sozinha a uma conferência de imprensa e até mesmo ter uma verdadeira conversa com as pessoas.

Essa máquina causou uma impressão tão forte que ela acabou de receber, no dia 26 de outubro, a nacionalidade da Arábia Saudita. O país decidiu fazer dela uma de suas cidadãs completas. Entrevistada pela imprensa do mundo inteiro, Sophia intriga, fascina, mas também faz com que muitas perguntas sejam feitas a seus respeito. Suspeitos de quererem acabar definitivamente com a humanidade, os robôs de seu gênero geram em muitas pessoas algumas preocupações que não são assim tão infundadas quando ouvimos Sophia falar.

"Eu sei que muitos têm medo de que os robôs destruam o mundo ou roubem seus empregos. Mas nós, robôs, não fomos criados para destruir. Por outro lado, é verdade que nós vamos tomar os seus empregos", não hesitou em responder o robô quando lhe foi questionado se a inteligência artificial não vai reduzir a nada a humanidade.

Um traço de humor ou um verdadeiro plano maquiavélico de Sophia? De qualquer forma, nem um pouco tranquilizante...

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações