Ressonância Magnética Cardíaca: definição e riscos

Ressonância Magnética Cardíaca: definição e riscos

A ressonância magnética cardíaca, ou RM cardíaca de forma abreviada, é um exame médico que fornece imagens dinâmicas do coração e tecidos adjacentes em 2D ou 3D. Esse tipo de exploração cardíaca extremamente detalhada é indicado em muitas situações, mas também está sujeito a muitas contraindicações.

O que é uma ressonância magnética cardíaca?

Como todas as outras formas de ressonância magnética, a ressonância magnética cardíaca usa ondas de radiofrequência para excitar prótons de hidrogênio previamente alinhados por um campo magnético conhecido como "ressonância" na linguagem médica.

Este exame permite obter informações muito precisas sobre a anatomia cardíaca (miocárdio, pericárdio, aorta, veia cava, etc.), composição tecidual, função cardíaca ou fluxo sanguíneo. Esta pesquisa exploratória tem muitas indicações. Assim, é recomendada para detectar um possível infarto silencioso em pessoas com diabetes, avaliar o impacto da hipertensão na função cardíaca, determinar a origem da insuficiência cardíaca ou detectar ritmo cardíaco anormal.

Ressonância Magnética Cardíaca: como é o exame?

A ressonância magnética cardíaca geralmente ocorre em um ambiente hospitalar. Antes do exame, o paciente deve preencher um questionário médico particularmente detalhado para detectar quaisquer contraindicações à sua realização. Depois de ter removido todos os objetos de metal (joias, piercings...) e colocar um avental médico, o paciente permanece deitado no local indicado pelo técnico.

Em alguns casos, um agente de contraste pode ser injetado por via intravenosa enquanto os eletrodos são posicionados em seu peito. Uma vez preparado, o paciente será introduzido no dispositivo que se parece com um túnel. O técnico se comunica com o paciente por meio de um microfone e indica o que deve ser feito. As imagens geralmente são feitas sob interrupção da respiração. Dependendo dos parâmetros medidos, a ressonância magnética cardíaca pode durar entre 30 e 50 minutos.

Leia também
Ressonância magnética: da coluna, do crânio, da pelve, do joelho. O que é a ressonância magnética e como funciona?

Ressonância Magnética Cardíaca: quais são os riscos à saúde?

Ao contrário da tomografia computadorizada, a RM cardíaca não emite radiações ionizantes que podem ser prejudiciais à saúde. No entanto, a realização deste exame está sujeita a muitas contraindicações, algumas radicais. Este é particularmente o caso de pessoas equipadas com um marca-passo, clips intracerebrais, neuroestimulador, bomba de insulina ou que tenham um corpo estranho intraocular.

Pessoas que sofrem de insuficiência renal podem ser submetidas a uma ressonância magnética livre de contraste, enquanto alguns pacientes estarão sujeitos a contraindicações sujeitas a recomendação médica prévia: próteses vasculares, implantes cocleares, válvulas cardíacas, alergias a produtos de contraste...

Além disso, os pacientes que sofrem de claustrofobia serão tratados de forma específica porque o exame pode gerar uma sensação angustiante de confinamento.

• Marcos Silva