"Ninguém é 100% hetero", afirma um novo estudo

"Ninguém é 100% hetero", afirma um novo estudo

Se as orientações sexuais estereotipadas parecem ter regido as preferências dos homens e mulheres durante séculos, um novo estudo mexe com todas as certezas ao demonstrar que a heterossexualidade está, na verdade, longe de ser uma norma biológica. 

Durante esse estudo publicado no Journal of Personality and Social Psychology, os pesquisadores estudaram o caso de vários homens e mulheres aos quais eles pediram para ver conteúdos para adultos misturando heterossexualidade e homossexualidade.Eles buscavam saber se as pessoas, ao verem esses filmes, ficavam psicologicamente submetidas a uma excitação sexual, ou seja, uma dilatação da pupila.

Leia também
Um rapaz e uma garota passam por situações constrangedoras durante todo o verão

Depois de vários dias de observação, esse estudo mostrou que as pupilas das mulheres se dilatavam quando elas viam um homem e uma mulher fazendo amor, mas, mais surpreendente, também dilatavam quando duas mulheres mantinham um ato sexual. Um fenômeno semelhante também foi observado do lado masculino.

"Quando nós mostramos aos homens heteros a foto de uma mulher se masturbando, a gente constata que psicologicamente há uma excitação. Mas, em seguida, quando mostramos também um homem que se masturba, os olhos deles dilatam da mesma forma. Nós estamos a ponto de demonstrar que psicologicamente nenhuma pessoa pode se dizer gay, hetero ou bissexual", explicou Ritch C Savin-Williams, autos desse estudo e diretor de Psicologia do Desenvolvimento, na Universidade Cornell.

Dito de outra forma, nossas orientações sexuais seriam mais regidas pelas normas sociais do que pela biologia.

De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações