Redução de mama: cuidados, dor, como é feito e riscos

Redução de mama: cuidados, dor, como é feito e riscos

A redução de mama é uma cirurgia plástica que reduz o tamanho dos seios.

O que é uma redução de mama?

A hipertrofia mamária pode ser um obstáculo, até mesmo uma deficiência diária para algumas mulheres. É também uma das razões mais comuns para consulta com um cirurgião plástico.

Dependendo do caso, a plástica redutora de mama pode ser considerada como uma cirurgia estética ou como uma cirurgia reconstrutiva, uma vez que a hipertrofia mamária pode causar, em particular, intensa dor nas costas. Assim, essa cirurgia visa reduzir, de forma mais ou menos consistente, o volume das mamas, para reposicionar e dar uma curvatura.

Leia também
Loja de móveis é processada por uma propaganda machista

Deve notar-se que a hipertrofia da mama pode ocorrer no final da puberdade, após várias gestações ou devido as alterações no tamanho do corpo. A idade também é um fator que favorece esse tipo de fenômeno, porque a gordura tende a ser gradualmente inserida no tecido mamário.

Como é realizada a redução de mama?

Praticada por um cirurgião estético, a redução das mamas é obrigatoriamente realizada sob anestesia geral. Isso significa que uma consulta prévia com um anestesista deve ser agendada pelo menos quarenta e oito horas antes do procedimento.

Uma avaliação clínica completa também é realizada para determinar a viabilidade da plástica. Se esse for o caso, o cirurgião optará pela técnica cirúrgica mais adaptada ao perfil de seu paciente. Ele então procederá com a excisão de tecidos excedentes que serão enviados para um laboratório de anatomopatologia para análise.

O médico então remodela a glândula mamária preservada para recriar uma curva mais estética. Após retirar o excesso de pele, reposicionará os mamilos e as auréolas antes de fechar a incisão (lifting cutâneo da mama). Um dreno é colocado no lugar para facilitar a evacuação de líquidos, e uma bandagem ligeiramente compressiva envolve o tórax.

Redução de mama: quais são os riscos e contraindicações?

As principais contraindicações para a redução de mama incluem problemas de coagulação, cardiovasculares ou psicológicos. A gravidez é logicamente uma contraindicação importante para esse tipo de intervenção.

Além disso, os cirurgiões preferem realizar uma mamoplastia em mulheres que não desejam mais ter filhos, ainda que, de fato, seja possível recorrer a essa cirurgia cerca de um ano após o parto. Como todos os procedimentos cirúrgicos, a redução de mama envolve riscos:

- riscos tromboembólicos: flebite, embolia...;

- necrose tecidular;

- risco infeccioso;

- hematoma;

- assimetria dos seios;

- problemas de cicatrização... 

 

• Danielle Pereira
Sem Internet
Verifique suas configurações