Homem rouba quadro em museu em pleno dia e sai a pé. Câmeras gravam tudo
Homem rouba quadro em museu em pleno dia e sai a pé. Câmeras gravam tudo
Leia mais

Homem rouba quadro em museu em pleno dia e sai a pé. Câmeras gravam tudo

Um homem simplesmente tirou o quadro da parede e o levou debaixo dos braços enquanto turistas o observavam chocados.

Tudo acontece em pleno dia. Um homem furtou, na tarde de domingo um dos principais museus de Moscou, Rússia. O suposto ladrão, um homem de 31 anos, simplesmente tirou o quadro da parece e saiu carregando a obra de arte debaixo do seu braço. O suspeito foi interrogado e a tela, de autoria do artista russo Arkhip Kouindji, foi encontrada intacta. Mas o incidente deixou toda a galeria Tretiakov desconsertada, uma vez que nesse mesmo lugar um outro quadro já havia sido vandalizado em maio do ano passado.

Por meio de imagens fornecidas pelas câmeras de segurança, que também foram transmitidas pelos canais e jornais russos, pode-se perceber um homem careca vestido de preto se aproximar da tela e a levar, sob o olhar incrédulo dos visitantes. De acordo com a direção do museu, o alarme foi soado por um segurança depois da fuga do ladrão, com um carro. A notícia chocou muitos artistas e intelectuais russos e internacionais, dada a facilidade com a qual o quadro simplesmente saiu de onde deveria estar.

A jornalista russa Isabelle Cornaz, que acompanhou o caso, assim que soube do ocorrido publicou em seu Twitter “Um suspeito foi preso depois do roubo de ontem, durante uma exposição temporária na galeria Tretiakov em moscou, foi o quadro ‘A Criméia. Ai-Petri’”, disse inconformada. O suspeito já tinha sido condenado por porte de drogas e foi limitado e impedido de sair do país. A tela levada a princípio tinha um valor estimado em cerca de R0 000 segundo um crítico e historiador de arte, que foi levado à galeria Tretiakov como parte de um apoio dado pelo museu de São Petersburgo, o mais importante da Rússia. A galeria Tretiakov é um dos museus mais prestigiados de Moscou, uma parada incontornável no destino de apreciadores das artes.

Fundada em 1856, ela tem obras de valores inestimáveis como telas de Vassily Kandinsky e o famoso “Quadrado preto em fundo branco” de Kasimir Malevitch, além de muitas outras dos mais renomados pintores russos. Em maio passado, um homem de 37 anos quebrou um vidro de proteção de um quadro de IlyaYefimovich Repin, de 1883, uma pintura histórica, “Ivan, o Terrível, e o Seu Filho Ivan em 16 de Novembro de 1581”. A pintura, de valor histórico para a Rússia, foi rasgada em três e encontrada em diferentes locais da cidade. Apesar de ter sido restaurada, ela nunca mais voltou à exposição. Como medida, o ministro da cultura anunciou ter projeto para equipar todos os quadros da galeria com alarmes que se ativariam caso um visitante se aproximasse demais. De acordo com a diretora Zelfira Tregoulova, o museu deve urgentemente modernizar a sua segurança, mas também “mudar a sua mentalidade”.

As autoridades responsáveis pelo patrimônio histórico da cidade rebateram dizendo que “a galeria estava protegida de maneira adequada”, no entanto, que “conclusões e aprendizados devem ser levados com o roubo”.

(Fonte: Daily mail)

Escrito por De Freitas Agostinho

Sem Internet
Verifique suas configurações