Serial killer brasileiro se torna comentarista de crimes e faz sucesso no YouTube
Serial killer brasileiro se torna comentarista de crimes e faz sucesso no YouTube
Leia mais

Serial killer brasileiro se torna comentarista de crimes e faz sucesso no YouTube

Pedro Rodrigues Filho, ou Pedrinho Matador, depois de ter cometido mais de 100 homicídios e cumprido mais de 40 anos de prisão, agora está em liberdade trabalhando como YouTuber e escrevendo um livro sobre sua vida.

Pedrinho Matador, agora em liberdade, talvez prefira ser chamado pelo seu nome de batismo, Pedro Rodrigues Filho. O brasileiro de 64 anos, nascido em Santa Rita do Sapucaí, se tornou assassino logo aos 14 anos, e hoje acumula mais de 100 em sua conta, inclusive o do próprio pai. Contudo, segundo ele, passou a vida em busca de outros assassinos, usado de seu instinto homicida para combater aqueles que considera “maus”. Apesar de Pedro encontrar-se atualmente em liberdade, vale ressaltar que ele ainda não respondeu por todos os seus crimes, o que dificilmente acontecerá tendo em vista que fora condenado a mais de quatrocentos, isso mesmo, quatrocentos anos de prisão. A pena mais longa já aplicada no país.

Pedrinho ganhou fama no Brasil não exclusivamente por ter ganhado uma pena que seria longa o suficiente para as próximas 5 gerações pagarem, mas também por seu caráter popular de “justiceiro”, sendo que prometeu durante a sua vida, boa parte dela na prisão, matar notórios criminosos como o Maníaco do Parque.

No entanto, apesar de seu passado para lá de sangrento, Pedrinho afirma com segurança: “só quero paz”. Sua história se assemelha com a de outros ex-detentos, que também tiveram a oportunidade de mudar suas vidas e assim ajudar outras pessoas.

O canal no YouTube, intitulado “Pedrinho Matador”, [https://www.youtube.com/channel/UCCv8K2TMINhSHHSEP9UDRsw], já conta com mais de 29 mil inscritos e mais de duas milhões de visualizações. Em seu canal, o preso agora em liberdade comenta assuntos cotidianos mais precisamente sobre violência, entre eles, um vídeo dedicado à morte da cachorra em frente ao supermercado Carrefour, a morte da estudante Rayane e do jogador de futebol Daniel.

Mais especificamente sobre o segundo caso, Pedrinho disse: “São crimes que revoltam a gente, cheios de mentira, acabando com a felicidade de uma pessoa. Essa jovem... Por que o segurança foi fazer aquilo com ela? Ele tem família, mulher linda, filho. O diabo faz a panela, mas esquece de fazer a tampa.” Comentou em referência ao fato de que nenhum crime é perfeito e tudo acaba sendo descoberto, “Tudo é descoberto. A condenação dele foi uma caneta”, concluiu, lembrando que o objeto encontrado no local acabou incriminando o profissional.

Tendo matado muitos dentro da cadeia e se autointitulando “um bem para a sociedade”, Pedro vê as duas faces da moeda, ao mesmo tempo que é atacado por pessoas verbalmente em seu canal, também é exaltado e chega até ser assediado nas ruas, entretanto, quando isso acontece, Pedrinho diz ficar envergonhado, “Até corro, me escondo. A pessoa chega e diz ‘eu te conheço de algum lugar’. Falo ‘eu não, você está enganado’. Mas alguns são cara dura e chegam, daí tiro foto”, confessou.

A produção do documentário sobre a sua vida já começou. Quem fará a produção do longa será Bruno Santana (diretor) e a agência Dublês & Atores. Pedrinho deve ser levado aos locais onde cometeu os crimes para fazer revelações e comentários inéditos pelo público brasileiro. Segundo as pessoas envolvidas na produção da autobiografia, Pedro está longe de parecer um monstro, bem como avalia a atriz Andreia dos Santos, “ele é como uma criança querendo voltar a viver”. O documentário deve ser lançado em fevereiro de 2019. 

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações