Raríssima pantera negra é fotografada pela primeira vez em um século
Raríssima pantera negra é fotografada pela primeira vez em um século
Raríssima pantera negra é fotografada pela primeira vez em um século
Leia mais

Raríssima pantera negra é fotografada pela primeira vez em um século

O lendário animal aparece pela primeira vez desde 1909. As imagens logo se tornaram virais.

Uma lenda viva

A pantera negra é um animal extremamente raro, tão raro que muitos acreditam que ela seja apenas uma lenda. O animal já foi inspiração para diversas histórias fantásticas e também nos quadrinhos; recentemente, as adaptações dos filmes da Marvel para o herói Pantera Negra aumentaram ainda mais a visibilidade e também o status lendário do felino.

Porém, um fotógrafo conseguiu registrar imagens do fabuloso animal, e provou que ele realmente existe. Will Burrard-Lucas conseguiu, no Quênia, o feito histórico de registrar uma pantera negra em seu habitat natural; a última vez que alguém fotografou essa espécie de felino foi em 1909 pelo fotógrafo Nick Pilfold em Adis Abeba, na Etiópia.

Burrard-Lucas é um fotógrafo especializado em vida selvagem, e colocou as imagens do animal em suas redes sociais, dando destaque para o Instagram. Logo, as imagens capturadas foram parar por toda a internet, encantando o mundo e se tornando viral em questão de horas.

A preparação

Para conseguir registrar as fotos do majestoso felino, Burrard-Lucas utilizou câmeras infravermelhas habilitadas para fotos noturnas e que contam também com sensores de movimento. "Eu sou capaz de criar uma espécie de iluminação de estúdio e deixar minhas câmeras instaladas por semanas ou meses", afirmou o fotógrafo em entrevista ao canal de notícias Reuters. Ele posicionou toda a sua parafernalha tecnológica ao redor do lago Laikipia Wilderness Camp, local que já havia sido estudado e confirmada a presença de panteras negras; porém, nenhuma ainda havia sido realmente registrada. Nicholas Pilfold, um cientista do Zoológico de San Diego que monitorava a região em busca de panteras negras, afirmou que "Ouvimos relatos de leopardo negros morando aqui no Quênia, mas imagens ou imagens de alta qualidade para apoiar essas observações sempre estiveram ausentes. Isso é o que fornecemos aqui com nossas câmeras e agora podemos confirmar o que há muito se suspeita sobre leopardo negros que vivem no condado de Laikipia". As suspeitas estavam corretas: após alguns dias de constante vigilância, uma pantera negra agraciou as lentes do fotógrafo com a sua presença e deixou-se registrar, fornecendo um belíssimo álbum de fotos, provando que as panteras negras realmente existem, apesar de toda sua raridade e misticismo.

Lendas vivas

O melanismo, acúmulo de pigmento no pelo dos animais (contrário ao albinismo), é um evento raríssimo nas panteras. Pilfold explica que "O melanismo ocorre globalmente em cerca de 11% dos leopardos, mas a maior parte vive no sudeste asiático. As panteras negras na África são extremamente raras". Por esse motivo, por ser muito raramente avistada (a última vez foi há 110 anos atrás) as panteras negras foram protagonistas de várias lendas e histórias; alguns acreditam que esses felinos possuem até mesmo poderes sobrenaturais. Burrard-Lucas, autor das fotos, conta que desde o início de sua carreira ele procura registrar imagens do felino. Segundo ele, “nenhum animal está envolto em tanto mistério, nenhum animal é tão indescritível e não há animal mais bonito". Em seu blog pessoal, ele diz: “Por muitos anos, eles permaneceram a matéria dos sonhos e das histórias improváveis contadas à volta das fogueiras num acampamento. Ninguém que eu conheça viu um em estado selvagem e eu nunca pensei conseguir”.

Fonte: Obervador

Imagem: Will Burrard-Lucas

Escrito por De Freitas Agostinho

Sem Internet
Verifique suas configurações