Oclofobia: sintomas, causas, tratamento, o que é?

Oclofobia: sintomas, causas, tratamento, o que é?

A oclofobia designa o pânico da bagunça, diferente da agorafobia que corresponde ao medo de espaços públicos dos quais é difícil escapar. 

O que é a oclofobia?

A oclofobia traduz-se por um medo irracional gerado pela concentração de muitos indivíduos em um mesmo espaço. Diferente da agorafobia, a noção de espaço não é importante para desencadear a fobia. É o número de pessoas que faz a diferença. Desta forma, a pessoa oclofobe não pegará transportes públicos em horas de pico. Outro problema de ansiedade pode estar envolvido - e isso é muito comum- como o medo de asfixia (claustrofobia) ou o medo do olhar do outro (blemofobia)

Quais são os sintomas da oclofobia?

Na presença de uma multidão, o indivíduo oclofobe sentirá uma violenta angústia cujas manifestações clínicas serão as seguintes:

- aceleração do ritmo cardíaco

- palpitação- sensação de sufocamento

- dificuldades de respirar

- vontade incontrolável de fugir

- mãos molhadas

- náuseas e vômitos

- vertigem

- tremores

- perda de consciência...

Para evitar estes sintomas, o oclofobe evita situações, o que chamamos de comportamentos contra fóbicos. Estas interações sociais e sua vida profissional podem ser profundamente afetadas. 

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

Quais são as causas da oclofobia?

Na maior parte dos fóbicos, o problema de ansiedade tem origem com um evento traumático.  Nas pessoas oclofobes, pode tratar-se de uma sensação de opressão ressentida no meio de uma multidão ou, mais grave, de uma agressão ou de uma humilhação na frente de muitas pessoas. A causa da oclofobia pode ser devido a uma educação familiar baseada no medo do outro. 

Quais são os tratamentos para a oclofobia?

Nos oclofobes, os cinco sentidos são hiperdesenvolvidos e podem, na presença de uma multidão, misturar-se, criando alucinações. Além disso, um surto delirante agudo constitui um dos riscos de complicações possíveis na oclofobia. É primordial tratar esta fobia com medicamentos ou psicoterapia ( ou ambos). A terapia cognitivo-comportamental, entre todos os tratamentos possíveis, é a referência no tratamento das fobias. Ela dará ao paciente as ferramentas necessárias para lidar com a angústia e enfrentar o medo. 

Raposo Gabriela
Sem Internet
Verifique suas configurações