"PewDiePie", maior youtuber do mundo, foi mencionado por atirador na Nova Zelândia
"PewDiePie", maior youtuber do mundo, foi mencionado por atirador na Nova Zelândia
Leia mais

"PewDiePie", maior youtuber do mundo, foi mencionado por atirador na Nova Zelândia

O sueco Felix Kjellberg é o líder no número de seguidores no YouTube, e foi citado por atirador em duas mesquitas na Nova Zelândia.

O maior youtuber do mundo

O sueco Felix Kjellberg ficou conhecido mundialmente por seu apelido e nome do seu canal no YouTube, PewDiePie. Aos 29 anos, o rapaz já conta com mais de 89 milhões de assinantes no site de vídeos da Google e é considerado o maior youtuber do mundo. Criado em 2010, seu canal inicialmente era voltado para o público dos games, no qual ele era gravado jogando jogos de videogame. Desde o dia 15 de agosto de 2013, PewDiePie ocupa a primeira posição em número de seguidores até hoje, apesar de estar praticamente empatado com o canal de músicas indiano T Series. Se somadas, as visualizações de seus vídeos já passam das 20 bilhões; estima-se que Felix fature cerca de 1 milhão de dólares (cerca de 3,7 milhões de reais) em um ano, apenas com a publicidade que faz durante seus vídeos, isso sem contar as várias outras maneiras que Pewds, como é chamado, faz dinheiro, como por exemplo vendendo seus vídeos para outras plataformas.

Mencionado durante o massacre

Nas últimas semanas, a frase "Lembrem-se assinem o canal do PewDiePie" foi levantada a fim de chamar a atenção de internautas para que assim o youtuber continuasse em primeiro lugar no site de vídeos. Porém, essa frase foi usada de uma trágica maneira.

Durante o massacre que aconteceu recentemente na Nova Zelândia em duas mesquitas na cidade de Christchurch, no qual um atirador reconhecido pelo nome de Brenton Tarrant matou a sangue frio 49 pessoas no total e deixou mais 48 feridas, o homem citou a célebre frase do youtuber. Em uma transmissão em que fez ao vivo dos ataques por via do Facebook, o atirador proferiu a célebre frase de PewDiePie.

Ao saber da notícia, Felix veio a público em solidariedade às vítimas e disse estar "enojado com a citação". Ele também se manifestou em outras redes: em seu Twitter oficial, ele fez uma publicação na qual prestou respeito “às vítimas, às famílias e a qualquer um que tenha sido afetado pela tragédia.”

Carreira em declínio?

PewDiePie já foi alvo de pesadas críticas e se envolveu em uma série de polêmicas no passado. No ano de 2017, o youtuber teve vários contratos com parceiros e anunciantes cancelado, como as gigantes Disney e Google. Em seus vídeos, ele estava sendo acusado de promover racismo, antissemitismo e misoginia, o que acabou prejudicando sua carreira com os vídeos. “Não vou pedir desculpas, porque sei que não há desculpa para o que fiz”, disse o youtuber na época. Outro caso mais recente que não agradou o público ocorreu quando PewDiePie foi amplamente criticado após fazer piadas sobre a cantora Demi Lovato, que está enfrentando problemas com álcool e drogas, principalmente cocaína. Apesar das discussões, vários fãs e internautas vieram em defesa de Felix, principalmente no Twitter. Eles enviam mensagens de forças para o youtuber e afirmam que PewDiePie não tem nada a ver com o massacre cometido pelo australiano nas mesquitas. As imagens do massacre que circulam pela internet está deixando o mundo todo horrorizado com a frieza do ataque.

Fonte: Estadão

Imagem: Le Parisien 

Escrito por Andressa Zabeu

Sem Internet
Verifique suas configurações