Cientistas desvendam o segredo de defesa desse animal aquático

Cientistas desvendam o segredo de defesa desse animal aquático

Ao estudar no microscópio o muco da myxini e construir um modelo matemático, pesquisadores conseguiram entender os mecanismos que possibilitam que a substância viscosa liberada pelo animal aquático infle em alguns décimos de segundo para atingir 10.000 vezes seu tamanho inicial.

Já descobrimos a estratégia do choco, molusco aquático capaz de fugir dos seus predadores ao jogá-los em uma névoa de tinta sépia. Mas esse animal aqui é outro que revela um talento comparável: a myxini. Parecida com uma enguia, ela, por sua vez, consegue se defender projetando na água não tinta, mas um muco viscoso que possibilita que ela obstrua as brânquias dos seus perseguidores. Implacável!

Há alguns anos, pesquisadores conseguiram ver o animal anguliforme em plena ação. Mas o mecanismo preciso que possibilita que seu muco "infle" em perto de um décimo de segundo - para atingir até 10.000 vezes seu tamanho inicial - ainda era um enigma. Mas com os trabalhos de pesquisadores norte-americanos, que conseguiram construir um modelo matemático que reproduz a expansão do "slime" projetado pela myxini.

Como explicam ao longo de uma publicação publicada no Journal of the Royal Society Interface, os pesquisadores se dedicaram ao estudo dos processos hidrodinâmicos ligados ao desenvolvimento espetacular das pequenas bolas de muco projetadas na água pela myxini. E para sua grande surpresa, eles descobriram - com ajuda de um microscópio - impressionantes segredos ligados ao mecanismo.

Segredos bem escondidos

No centro do muco se encondem minúsculos amálgamas fibrosos - batizados "labirintos" -, que são capazes de se estenderem e de tomar assim a forma de cordões de vários centímetros de comprimento em menos de meio segundo. O segredo da inflação mucosa da myxini finalmente foi descoberto! Ou pelo menos o começo dele.

Resta ainda aos pesquisadores determinar se as forças ligadas aos movimentos da água - as agitações - podiam sozinhas explicar o desenrolamento dos labirintos. É aí que os matemáticos aparecem para salvar os pesquisadores.

Bolas que se desenrolam como fitas adesivas

Batizando o modelo, os pesquisadores puderam dessa forma simular o processo do desenrolar dessas pequenas bolas. "Nosso modelo se articula em torno da ideia de um pequeno elemento que fica pendurado no começo, e que se estica em seguida. Imagine um rolo de fita adesiva. Para começar a desenrolar a fita de um novo rolo, você poderia procurar o começo, e esticá-lo e parti-lo com a sua unha. Mas se já tem uma extremidade acessível, é fácil pegar com qualquer coisa e começar [a desenrolar a fita]", explica Jean-Luc Thiffeault, professor de matemático da Universidade de Wisconsin em Madison.

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

As forças geradas pelos movimento d'água bastam para desenrolar os minúsculos amálgamas fibrosos, e para fazer assim com que inflem as bolas de muco até 10.000 vezes o seu tamanho inicial. "Quando um tubarão fecha sua coba, isso provoca efetivamente agitações na água. Isso cria fluxos mais rápidos, tipo de coisa que oferece o [estopim] necessário para que esse tipo de coisa aconteça", conclui Jean-luc Thiffeault. O imparável muco da myxini não guarda mais nenhum segredo para nós! Para o tubarão, em contrapartida, guarda uma armadilha inextricável.

De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações