Geleira na Groenlândia volta a crescer, mas isso não é uma boa notícia

Geleira na Groenlândia volta a crescer, mas isso não é uma boa notícia

A geleira Jakobshavn, na Groenlândia, voltou a ganhar corpo recentemente. No entanto, os pesquisadores destacaram que essa tendência é provavelmente temporária.

Há 20 anos, a geleira Jakobshavn, situada na Groenlândia, derrete devido ao aquecimento das águas na baia de Baffin. Todavia, esse monstro em forma de gelo, oriundo do iceberg responsável pela derrocada do Titanic, recentemente voltou a ganhar corpo, isso desde 2016, assim que as correntes oceânicas reveladas pela NASAvoltaram a esfriar.

A questão da oscilação norte-atlântica

"No começo, não não podíamos acreditar", comenta Ala Khazendar, glaciólogo e autor principal do estudo publicado na revista Nature Geoscience. "Nós presumimos que o Jakobshavn continuaria igual aos seus último 20 anos." Com o trabalho de Khazendar e de sua equipe, o motivo do resfriamento foi identificado, e infelizmente, ele será apenas temporário.

A oscilação norte-atlântica (ONA) corresponde a uma flutuação da pressão atmosférica no nível do mar, o que acontece uma vez a cada ciclo de 5 a 20 anos. Essa flutuação resulta em um aquecimento ou em um resfriamento, depois, essa mudança de temperatura sobe de volta até cerca de 1.000 km ao norte pelas correntes oceânicas, até chegar na costa sudoeste da Groenlândia.

Inversão temporária

Leia também
Quais são os 10 lugares mais poluídos do mundo?

Em 2016, a temperatura da água modificada pelas correntes oceânicas no sudoeste da Groenlândia estava 1ºC mais alta em comparação com as médias precedentes. Apesar de a diferença parecer mínima, ela possibilita que a tendência se inverta e que o bloco de gelo Jakobshavn retome sua progressão. Os pesquisadores reconheceram terem ficado pessoalmente surpresos com o alto impacto de uma tão pequena variação. Todavia, esse efeito deve durar apenas um certo tempo.

Rapidamente, o movimento de equilíbrio da ONA obrigará a tendência a se inverter novamente, e Jakobshavn se juntará às outras calotas da Groenlândia em seu declínio rápido e silencioso. "A Jakobshavn está aproveitando de uma pausa temporária dada a situação climática. Mas a longo prazo, os oceanos estão esquentando. E o impacto imenso dos oceanos em calotas polares é uma má notícia para a calota glacial da Groenlândia", conclui o pesquisador Josh Willis.

De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações