Índia suspende motorista por deixar um macaco 'conduzir'

Índia suspende motorista por deixar um macaco 'conduzir'

Um motorista de autocarro indiano, que deixou um macaco ao volante do seu veículo, foi suspenso no sábado, depois que um vídeo do incidente se tornar viral, provocando sentimentos de indignação e humor.

Um motorista de autocarro indiano, que deixou um macaco ao volante do seu veículo, foi suspenso no sábado, depois que um vídeo do incidente se tornar viral, provocando sentimentos de indignação e humor.

O motorista de 36 anos é visto a sorrir e a acariciar o macaco enquanto está sentado no volante do autocarro em movimento. O “incidente” foi filmado por um passageiro.

"O motorista M Prakash foi retirado do serviço por permitir que o macaco se sentasse ao volante e a manuseá-lo", disse T.S Latha, porta-voz da empresa estatal de transporte rodoviário no estado de Karnataka, sul do país. "A segurança dos passageiros é primordial e o motorista não pode arriscar, permitindo um macaco na direção."

O incidente ocorreu na segunda-feira, mas as autoridades só souberam disso depois do vídeo ser amplamente divulgado e compartilhado nas redes sociais, acrescentou Latha.

Havia cerca de 30 passageiros no transporte público, mas nenhum deles reclamou.

Reportagens da imprensa local dizem que o animal embarcou com um passageiro e ficou ao volante por quase dez minutos.

O motorista estava na sua viagem regular ao redor de Davangere, a cerca de 270 quilómetros da capital regional Bangalore, quando o incidente ocorreu.

"Tão doce. Por que suspender. Ele deveria ter sido avisado para não repetir isso", twittou Parag Heda.

Outro local brincou e disse que o motorista estava na profissão errada.

"É bom que uma ação seja tomada e ele suspenso, mas claramente ele está no trabalho errado. Este homem é um amante de animais sensível (veja como o macaco confia nele) e poderia ser um trunfo em trabalhos relacionados à vida selvagem", disse ele.

A autoridade de transporte do estado confirmou que uma investigação está a ser levada a cabo. 

• Pedro Souza
Leia mais