Histeroscopia: definição, como é feito o exame e há riscos?
Histeroscopia: definição, como é feito o exame e há riscos?

Histeroscopia: definição, como é feito o exame e há riscos?

A histeroscopia é um exame endoscópico que permite a exploração da cavidade uterina para estabelecer um diagnóstico ou realizar um procedimento cirúrgico.

O que é uma histeroscopia?

Usando um endoscópio equipado com uma microcâmera, o ginecologista pode visualizar o útero da sua paciente. Esse exame médico pode ter dois objetivos distintos:

- Histeroscopia diagnóstica: permite explorar a cavidade uterina em busca de possíveis anormalidades. Se necessário, o médico pode retirar algumas amostras para análise. Na maioria dos casos, este tipo de histeroscopia é indicado no contexto de uma avaliação de fertilidade, abortos recorrentes ou até mesmo menometrorragia,

- Histeroscopia operatória: trata-se de uma operação cirúrgica cujo objetivo é remover uma ou mais anormalidades presentes no útero (cisto, pólipo, mioma, aderência...).

Como se faz uma histeroscopia?

O progresso do exame endoscópico irá variar de acordo com sua natureza. A histeroscopia diagnóstica geralmente é realizada sem anestesia e no início do ciclo menstrual (entre D-8 e D-13). No final de uma higiene pessoal completa, o histeroscópio é introduzido na cavidade uterina por meios naturais.

A histeroscopia operatória, por sua vez, é realizada em uma sala de cirurgia. A consulta prévia com um anestesista é necessária para verificar o histórico pessoal e familiar do paciente e para escolher o tipo de anestesia (geral ou local).

No dia D, a paciente deve estar em jejum. Uma infusão é colocada nela para injetar a substância sedativa. O exame, que dura cerca de meia hora, permite ao cirurgião remover a anomalia com instrumentos cirúrgicos apropriados.

Para visualizar melhor a cavidade uterina, pode ser necessário injetar uma distensão líquida (solução salina, glicina...). Esse tipo de operação é geralmente realizado em ambiente ambulatorial, ou seja, o paciente retorna para casa algumas horas após o exame.

Histeroscopia: quais são os riscos e contraindicações?

Se a histeroscopia é para todas as mulheres, algumas contraindicações podem existir. Esse é particularmente para mulheres grávidas: infecção intrauterina, câncer do colo do útero ou câncer endometrial.

Geralmente, a histeroscopia operatória é mais arriscada do que a histeroscopia diagnóstica, em primeiro lugar porque envolve anestesia. Além do risco anestésico inerente a qualquer procedimento, esse tipo de exame médico pode levar às seguintes complicações:

- ferida no colo do útero,

- perfuração do colo do útero durante a dilatação,

- falso trajeto,

- infecção uterina,

- hemorragia uterina,

- distúrbios cardíacos ou pulmonares secundários à reabsorção do líquido de distensão. 

 

Escrito por Danielle Pereira

Sem Internet
Verifique suas configurações