Hibristofilia: Mariya se sente atraída por assassinos em série

Hibristofilia: Mariya se sente atraída por assassinos em série

Mariya dedica um verdadeiro culto aos assassinos em série. E sua fantasia vai mais longe do que nós imaginamos...

Os serial killers, eles também, podem ser símbolos sexuais. Pelo menos para as pessoas que sofrem de hibristofilia. É o caso do Mariya, de 22 anos. Ela se sente atraída sexualmente por assassinos em série: "Eu diria que eu comecei a ficar fascinada por Jeffrey Dahmer, Ted Bundy e Richard Ramirez aos 16 anos. Mas foi só mais tarde, depois de ler sobre o que eles tinham feito, que eu comecei a ficar realmente atraída por eles."

Mas para além de uma simples atração sexual, Maryia escreveu cartas para eles e manteve até mesmo relações por essas cartas com alguns deles. Ela as guarda em um caderno, com fotos deles, e até tatuou os nomes de Jeffrey Dahmer (assassino de 17 jovens homens) e de Dylann Roof (assassino em massa e supremacista branco). A jovem até mesmo confessou manter uma verdadeira relação amorosa com um assassino, que atualmente está na prisão mas a quem ela escreve e que ela vai ver. Contudo, ela não quis revelar a identidade dele.

Quando nós perguntamos à Maryia como ela se sentiria se um membro de sua família fosse morto ou estuprado, ela responde: "Eu não sei... No momento em si, eu provavelmente ficaria maluca. Mas talvez um pouco depois, quando o assassino estivesse na prisão, eu escreveria para ele e falaria com ele. Eu tentaria entender as motivações dele." 

• Pedro Souza
Leia mais