Hemostasia: definição, como é feito, há algum risco?

Hemostasia: definição, como é feito, há algum risco?

A hemostasia é o conjunto de mecanismos usado para estancar o sangramento quando um vaso sanguíneo é danificado. Esses mecanismos envolvem processos complexos que podem ser analisados como parte da avaliação da hemostasia.

O que é hemostasia?

A complexidade da hemostasia reside no fato de que vários fatores de coagulação e várias proteínas participam de maneira definitiva. Assim, a avaliação do processo hemostático baseia-se em numerosos ensaios para controlar as diferentes fases do mecanismo:

- a contagem de plaquetas: são elementos sanguíneos essenciais ao processo de coagulação. Seu número deve estar entre 150.000 e 400.000 / mm3.

- o nível de protrombina (TP): é um dos principais fatores de coagulação, corresponde à transformação do tempo de Quick (tempo de coagulação) em porcentagem. O normal é entre 80 e 100%.

- o nível de fibrinogénio: essa proteína do sangue participa na formação de coágulos sanguíneos para colmatar uma brecha. Sua taxa deve estar entre 2 e 4 g / l.

- o tempo de hemorragia: essa medida permite avaliar o tempo necessário para a formação de agregados plaquetários para parar o sangramento. O valor normal do tempo de hemorragia é de 3 a 5 minutos.

- tempo de tromboplastina parcial ativada (APTT): esse é o tempo de coagulação do plasma sanguíneo quando esse é sujeito a um ativador. Seu valor normal é entre 24 segundos e 41 segundos.

Como é o exame?

As diferentes doses são recomendadas pelo médico de acordo com os sinais clínicos observados e a orientação exploratória desejada. Em todos os casos, as taxas envolvidas na avaliação da coagulação são obtidas pela análise de uma amostra de sangue.

Geralmente, a amostra é obtida por punção venosa na dobra do cotovelo. Não é necessário estar em jejum para realizar um balanço da hemostasia. Por outro lado, é importante indicar ao laboratório de testes a realização de qualquer tratamento médico. Os resultados são comunicados rapidamente ao paciente, bem como ao médico prescritor (24 a 48 horas).

Leia também
15 pegadinhas para fazer com a galera do trabalho!

Hemostasia: quais são os riscos e contraindicações?

Os diferentes testes realizados na avaliação da hemostasia permitem ao médico avaliar a capacidade de coagulação de um paciente e, se necessário, detectar possíveis riscos à sua saúde.

De fato, um processo hemostático excessivo pode aumentar o risco de trombose (formação de coágulo), enquanto um mecanismo deficitário pode aumentar o risco de hemorragia. Esses ensaios são, portanto, comumente usados para monitorar pessoas em terapia anticoagulante ou aquelas que estão se preparando para se submeter à cirurgia.

Embora não existam contraindicações reais para a realização de tal relatório, deve-se notar que algumas patologias e / ou situações podem alterar os resultados.

• Danielle Pereira
Sem Internet
Verifique suas configurações