Exame de sangue: como analisar o resultado?

Exame de sangue: como analisar o resultado?

Como analisar seu exame de sangue?  Entender os  resultados da sua amostra sanguínea não é tão simples. Gentside te dá as chaves para melhor compreender o seu teste.  

O que é um exame de sangue?

É um exame que analisa o conteúdo do sangue e permite o diagnóstico de certas patologias. A amostra sanguínea é feita com uma agulha, majoritariamente por uma veia no braço.  

 

 

Como interpretar a análise do seu sangue?

Nada substitui uma consulta médica. Mas, esperando o encontro com o profissional, é possível decifrar você mesmo alguns resultados do seu exame de sangue.  Veja aqui um guia para ver de maneira mais clara o que significa o número de leucócitos, hemácias ou plaquetas sanguíneas. 

Leia também
Leoa gravemente ferida é salva por veterinários no Quênia

 

 

Exame de sangue: glóbulos vermelhos elevados ou baixos, o que isso significa? 

Você não sabe como analisar seu exame de sangue? Veja como interpretar a sua taxa de hemoglobina e de hematócritos.As hemácias, ou glóbulos vermelhos, são um dos elementos figurados do sangue. São elas que asseguram o transporte do dióxigênio graças a uma proteína chamada hemoglobina. 

A taxa normal de hemácias no sangue está entre 4.7 e 6.1 milhões de células por microlitro (mcl) para homens e entre 4.2 e 5.4 milhões de células/mcl para mulheres. A taxa normal de hemoglobina está entre 13.5 e 17.5 g/dl ( grama de hemoglobina por decilitro de sangue) para homens e entre 12.5 e 15.5 g/dl para mulheres. 

Taxa de hemácias muito alta

Uma elevação do número de hemácias pode ter várias causas possíveis. 

- Hipóxia: trata-se de uma diminuição da quantidade de oxigênio distribuído pelo sangue aos tecidos. Muitos fatores influenciam como o tabagismo, um consumo excessivo de álcool, cardiopatias congênitas, pneumopatia crônica, insuficiência cardíaca ou um período de tempo em uma alta altitude. 

- Doença de Vasquez: É uma doença rara caracterizada pela proliferação anormal de células-tronco na medula óssea. A expectativa de vida depois do diagnóstico é de cerca de 15 anos. Os principais sintomas são uma hipertensão arterial, um aumento nas dimensões do baço e uma vermelhidão na pele. 

Taxa de hemácias muito baixa

Uma baixa anormal da taxa de hemoglobina no sangue é chamada anemia. Ela manifesta-se por uma forte fadiga, perda de fôlego e uma aceleração do ritmo cardíaco ( taquicardia). Um número de hemácias muito baixo pode ser explicado por uma carência alimentar de ferro ou de vitaminas (B12 ou B9). Uma doença renal ou um problema da medula óssea podem igualmente ser a origem da diminuição dos glóbulos vermelhos.  

O hematócrito

O hematócrito corresponde ao volume de hemácias em relação ao volume sanguíneo total. Ele é expresso em porcentagem. O valor normal de hematócritos fica entre 40 e 55% para homens e entre 37 e 50% para as mulheres. 

 

 

Exame de sangue: leucócitos baixos ou elevados, o que isso significa?

Você não sabe como interpretar sua análise de sangue? Veja aqui como analisar sua taxa de leucócitos no sangue. Os leucócitos, ou glóbulos brancos, são células do sistema imunitário produzidos pela medula óssea. Seu papel: proteger o organismo contra as agressões externas como as bactérias e vírus. 

A taxa normal de leucócitos no sangue fica entre 4000 e 10000 por mm3 ( milímetro cúbico ou mililitro)Nós distinguimos três tipos de leucócitos: os polinucleares (neutrófilos, eosinófilos e basófilos), os linfócitos e os monócitos. 

Taxa de leucócito elevada

Um número muito alto de leucócitos no sangue é chamado hiperleucocitose. Ela pode ser devida a uma infecção ( bronquite, rinofaringite, apendicite...) ou uma inflamação no nível da medula óssea. Estes últimos são geralmente os leucócitos polinucleares neutrófilos que estão aumentados. Em casos mais raros, uma leucemia ou câncer podem ser o motivo do aumento de glóbulos brancos.   

Taxa de leucócito baixa

No caso de uma baixa no número de leucócitos para em torno de 3500/mm3, falamos de leucopenia. As causas da leucopenia são diversas. Ela pode tratar-se de uma doença ( linfoma, leucemia aguda), de uma infecção ( paludismo, febre tifóide, HIV) ou decorrente do uso de certos medicamentos. 

 

 

Exame de sangue: linfócitos baixos ou altos, o que isso significa?

Você não sabe como analisar o seu exame de sangue? Veja como interpretar a sua taxa de linfócitos no sangue.Os linfócitos são os leucócitos ( ou glóbulos brancos) implicados na fabricação dos anticorpos. Eles são produzidos pela medula óssea e têm um papel primordial na defesa imunitária. A taxa normal dos linfócitos no sangue é de 1000 a 4000/mm3, entre 20 e 40% do número total de leucócitos. 

Taxa de linfócitos elevada 

Quando a taxa de linfócito é superior a 40% do número de leucócitos, pode tratar-se de uma linfocitose. Ela pode ser causada por uma infecção ou inflamação ( falamos neste caso de linfocitose policlonal) ou por uma doença como um tumor linfóide ou uma leucemia ( linfocitose monoclonal) 

Taxa de linfócito baixa

Se o número dos linfócitos é inferior a 1000/m3, falamos de linfopenia. Ela pode ser explicada por infecções neurológicas, como a síndrome de Guillain-Barré ou a esclerose em placas, uma insuficiência renal ou uma má nutrição. 

 

 

Exame de sangue: monócitos baixos ou elevados, o que isso significa?

Você não sabe como analisar seu exame de sangue? Veja aqui como interpretar sua taxa de monócitos no sangue.Os monócitos são os leucócitos mais numerosos, os glóbulos brancos. Eles têm como função a destruição de certos tipos de agentes patogênicos, como os vírus e bactérias. O número normal de monócitos no sangue está entre 200 e 1000 células por mm3, entre 4 e 8% do número de leucócitos. 

Taxa de monócitos elevada

Quando a taxa de monócitos passa de 1000 células por mm3, falamos de monocitose. Uma elevação no número de monócitos indica uma infecção ou uma mononucleose infecciosa. Ela pode igualmente ser causada por uma doença da medula óssea, um tumor ou uma leucemia.   

Taxa de monócitos baixa

Um número muito baixo de monócitos ( inferior a 200 células por mm3) é chamado monocitopenia. Ela pode exigir uma administração de corticóides, uma leucemia tricoleucócita ou uma aplasia medular. 

 

 

Plaquetas: baixas ou elevadas, o que isso significa? 

Você não sabe como interpretar o seu exame de sangue? Veja aqui como analisar sua taxa de plaquetas. As plaquetas, ou trombócitos, são as células sanguíneas sem núcleo. Elas têm um papel primordial na coagulação no caso de hemorragia. Na idade adulta, o número normal de plaquetas no sangue fica entre 150.000 e 400.000 por mm3 ( milímetros cúbicos).  

Plaquetas sanguíneas muito baixas

Em caso de diminuição das plaquetas, falamos de trombopenia. Os riscos de hemorragia  são, logo, muito elevados. Ela manifesta-se por sangramento de nariz, olhos, dores de cabeça e problemas de visão ( visão dupla). As causas de um número de plaquetas mais baixas são múltiplas. As doenças mais comuns relacionadas com a queda são o linfoma, a mielofibrose ou a leucemia. A trombopenia pode também ser hereditária ou de origem tóxica ou medicamentosa.  

Plaquetas sanguíneas muito altas 

Um número de plaquetas muito alto é chamado trombocitose. Ela implica um forte risco de trombose pela formação de um coágulo no interior de uma veia, cortando a circulação sanguínea. Um alto número de plaquetas pode acontecer após uma remoção do baço ( esplenectomia), uma doença inflamatória, a doença de Hodgkin, uma carência de ferro, um câncer, um grande estresse ou uma depressão. 

 

 

Exame de sangue: glicemia elevada ou baixa, o que isso significa?

Você não sabe como interpretar o seu exame de sangue? Veja aqui como analisar sua taxa de glicemia.A glicemia é a taxa de açúcar no sangue. O açúcar serve de combustível aos órgãos do corpo humano. Sua taxa é regulada por dois hormônios: a insulina e a adrenalina. O valor da glicemia varia em função da alimentação, da idade e da atividade física. o exame de sangue é feito em jejum. Uma taxa de glicose normal em jejum é estimada em 0,75g/l (grama por litro) e 1,10 g/l. 

Glicemia muito elevada 

Segundo os critérios da OMS (Organização Mundial da Saúde), a glicemia é considerada muito alta quando é superior a 1,26 g/l. Fala-se de uma hiperglicemia. Ela é um sinal de diabetes.  

Glicemia muito baixa

Uma taxa de glicemia muito baixa, inferior à 0,6 g/l, pode ser explicada por diferentes fatores. Pode ser indicativo de consumo de álcool, má nutrição ( anorexia), certas patologias ou consumo de alguns de medicamentos, como a insulina. 

• Raposo Gabriela
Sem Internet
Verifique suas configurações