"Coloque presença": em França, um estudante de Ensino Médio ameaça uma professora com uma pistola em plena sala de aula

"Coloque presença": em França, um estudante de Ensino Médio ameaça uma professora com uma pistola em plena sala de aula

Uma investigação foi aberta após a transmissão de um vídeo mostrando um estudante do ensino médio ameaçando sua professora com uma arma falsa na sala de aula.

O vídeo está circulando nas redes sociais e em canais de notícias continuamente desde sexta-feira. Podemos ver um estudante do ensino médio de Créteil (Val-de-Marne) apontando para um professor com uma arma de mentira no meio de uma sala de aula, para que este o anote presente na aula.

Colocado online no dia 19 de outubro, o vídeo rapidamente se tornou viral no Twitter. De acordo com Didier Sablic, do sindicato SNEP FSU 94, a cena aconteceu no colégio Edouard-Branly, durante um curso profissionalizante em "prevenção da saúde ambiental". Um estabelecimento "normalmente tranquilo", disse ele.

Após a difusão dessas imagens, dois estudantes foram colocados sob custódia: o jovem que aponta para o professor e o que entrou com a arma na escola. Domingo à tarde, o que apontou a arma foi levado perante um juiz juvenil e indiciado por "violência resultando em menos de oito dias de ITT" e "violência agravada". Ele também recebeu uma medida de distanciamento do Val-de-Marne e uma obrigação de seguir um curso de formação como parte de sua pena judicial. Ele pode enfrentar até três anos e meio de confinamento. O autor do vídeo ainda não foi identificado.

Leia também
Estudantes inventaram um saco de dormir inteligente para moradores de rua

O caso agitou todo o Estado. Na linha de frente, Jean-Michel Blanquer, o ministro da Educação, reagiu sábado à tarde no Twitter: "Eu condeno fortemente os atos de ameaça a um professor que aconteceram na quinta-feira (...) Medidas rigorosas foram tomadas imediatamente: denúncia e  custódia que será seguida por sanções disciplinares". Poucas horas depois, foi a vez do presidente, Emmanuel Macron: "Ameaçar um professor é inaceitável, pedi ao ministro da Educação Nacional e ao Ministro do Interior que tomassem todas as medidas para garantir que esses fatos sejam punidos e permanentemente banidos de nossas escolas.

"Por sua vez, a reitoria da academia de Créteil expressou sua "indignação" e condenou essas ações.

• De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações