VÍDEO - Estados Unidos: um professor bate em um aluno depois de receber insultos racistas
VÍDEO - Estados Unidos: um professor bate em um aluno depois de receber insultos racistas
VÍDEO - Estados Unidos: um professor bate em um aluno depois de receber insultos racistas
Leia mais

VÍDEO - Estados Unidos: um professor bate em um aluno depois de receber insultos racistas

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Uma onda de apoio online foi lançada para apoiar um professor americano que bateu em um aluno em sala de aula depois de receber insultos racistas há alguns dias.

O caso despertou a opinião pública americana. Marston Riley, um professor de música da escola secundária de Maywood em Los Angeles, foi desafiado depois de ter sido filmado batendo em um aluno com socos que acabara de lançar insultos racistas. De 64 anos, o professor foi preso por "maus tratos a um menor" na última sexta, 02 de novembro. Ele foi liberado no sábado de manhã.

Ele deve comparecer ao tribunal no próximo dia 30 de novembro. Segundo os alunos, entrevistados pela TV local KTLA, Riley teria pedido ao adolescente de 14 anos de sair da sala de aula depois de muitas repreendas por não estar vestido de maneira conforme.

Ele recusou-se a obedecer e terminou por desferir comentários racistas como mostra o vídeo abaixo. Divertindo-se com a cena, os alunos presentes na classe até riam enquanto a tensão entre os homens aumentava. O professor então desfere um soco no rosto do estudante. A cena continua com gritos e uma tentativa de separar a briga. O estudante, que sofreu ferimentos superficiais, foi brevemente hospitalizado, como indicou o comunicado divulgado pela polícia de Los Angeles.

"Ele era um professor realmente gentil, eu sempre o respeitei"

Rapidamente, muitos alunos, professores e parentes dos alunos decidiram tomar partido de Marston Riley. "Eu conheço o professor e nunca tive nenhum problema com ele", afirmou um estudante da KTLA. "Ele é um professor realmente gentil, eu sempre o respeitei. Ele sempre teve uma ótima relação com os alunos.".

Cecilia Diaz Jimenez, antiga professora do colégio Maywood, lançou uma vaquinha online para financiar os custos do professor com o processo. Ontem, 07 de novembro, a vaquinha já chegava a 135 000 dólares. "É importante saber que não era a primeira vez que Marston Riley foi agredido, fisicamente ou verbalmente", precisou a professora.


En plus
Sem Internet
Verifique suas configurações