Ecografia mamária: definição, como é o exame, quais são os riscos para a saúde?

Ecografia mamária: definição, como é o exame, quais são os riscos para a saúde?

A ecografia mamária usa ultrassom para visualizar precisamente o interior do seio. Como a mamografia, ela representa uma ferramenta preciosa para diagnosticar o câncer de mama

O que uma ecografia mamária?

A ecografia mamária é uma técnica de imagem médica usada para despistar anomalias estruturais no interior dos seios. Como todos os outros tipos de ecografia, ela baseia-se na propulsão de ultra sons na zona a ser examinada. Os diferentes constituintes mamários reenviam os ultrassons: esse eco traduz-se em imagens em uma tela, o que permite ter uma visão muito precisa do interior do seio. 

No geral, a ecografia mamária e prescrita para analisar mais precisamente uma anomalia vista em uma mamografia (imagem feita por raio X). Ela pode também ser prescrita para mulheres jovens, pessoas nas quais a mamografia traz resultados pouco confiáveis ( densidade dos seios muito fraca para esta técnica). Nas mulheres grávidas, a ecografia mamária também é mais usada que a mamografia: os ultrassons são perigosos para a mulher e para o bebê, o que não acontece com os raios X. Por fim, a ecografia mamária  pode ser empregada antes de uma biópsia de tumor mamário. 

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

Ecografia mamária: como é o exame?

Não é preciso estar em jejum para uma ecografia mamária mas é desaconselhável usar perfumes ou outros cosméticos na área a ser examinada assim como portar um colar.No geral, o exame é feito em posição alongada, deitada, seios nus: o radiologista aplica um gel hipoalergênico especial para facilitar a passagem dos ultrassons antes de passar a sonda na pele, em toda a superfície dos seios. A ecografia mamária dura cerca de 10 minutos, salvo em circunstâncias particulares. 

Ecografia mamária: quais são os riscos para a saúde?

Os ultrassons não oferecem riscos. Mas grande parte das anomalias detectadas são de tumores benignos: podem ser cistos, angiofibromas ou lipomas. É importante notar que a ecografia não é suficiente para determinar se um tumor é canceroso ou não, mesmo se o aspecto do tumor ( densidade, contornos regulares ou não) pode ajudar a avaliar o risco do câncer do seio. Em função das imagens obtidas, o médico pode pedir exames complementares como uma biópsia da anomalia: a análise em laboratório serve para fazer o diagnóstico neste caso. 

Raposo Gabriela
Sem Internet
Verifique suas configurações