Língua geográfica: uma doença misteriosa que transforma a superfície da língua

Língua geográfica: uma doença misteriosa que transforma a superfície da língua

Incurável, a "língua geográfica" é uma doença crônica que transforma a superfície da língua das pessoas num "mapa". Embora ela ainda seja muito pouco conhecida, pesquisadores do Instituto Weizmann lançam um pouco de luz sobre essa estranha doença.

Ela também é conhecida como glossite migratória benigna, mas ninguém entende realmente esta doença. A síndrome da "linguagem geográfica" é caracterizada por uma mudança de aparência na língua das pessoas afetadas, até que ela tenha a aparência como de um “mapa”.

De causas desconhecidas, esta doença ainda não possui cura atualmente, mas pesquisadores do Instituto Weizmann acabaram de diminuir um pouco o mistério que envolve esta doença.

O que é a língua geográfica?

A língua afetada parece um "mapa" por causa das manchas vermelhas irregulares que aparecem em sua superfície. Elas são delimitados por um contorno esbranquiçado. A forma do "mapa" varia de um dia para o outro e as zonas vermelhas são caracterizadas pelo aparecimento de inflamação nas papilas gustativas filiformes.

Se for benigna, a língua geográfica pode perturbar o paladar das pessoas infectadas. Algumas pessoas sentem ainda um gosto ferroso na boca. Mas a síndrome também pode ser dolorosa. A língua apresenta rachaduras e os alimentos ácidos podem irritar e arder. Estima-se que esta doença, para a qual não existe tratamento, afetaria apenas 2% da população mundial.

Como é uma doença crônica, ela pode aparecer e desaparecer em pacientes, adicionando um pouco mais de mistério. Apenas alguns sintomas podem ser tratados para reduzir o desconforto associado à síndrome.

Vários tipos de língua geográfica

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

Físicos do Instituto Weizmann, em Israel, no entanto, revelaram alguns dos mistérios que cercam essa síndrome. Ao estudar a dinâmica das placas de inflamação, ou seja, sua forma e como elas evoluem com o tempo, os pesquisadores mostraram que existem pelo menos dois tipos de língua geográfica.

Em sua primeira forma, a inflamação aparece em pequenos círculos que se estendem gradativamente, mantendo esse aspecto circular. Assim como um incêndio não pode retornar a um lugar queimado até que a vegetação tenha crescido novamente, essas manchas vermelhas não retornam às áreas já afetadas. Pelo contrário, o outro tipo de língua geográfica é caracterizado por inflamações repetidas nas mesmas áreas, que podem persistir por um longo período de tempo. Neste caso, as placas aparecem como espirais, às vezes se estendendo para áreas da língua que ainda estão se curando.

Os pesquisadores esperam que seus resultados ajudem a entender melhor essa estranha doença. Os médicos também poderão usá-lo para saber qual forma de língua geográfica afeta seus pacientes e, assim, avaliar melhor sua situação.

Flávio Soares
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações