Dengue: sintomas, tratamento, prevenção, em quais regiões a doença está presente?
Dengue: sintomas, tratamento, prevenção, em quais regiões a doença está presente?

Dengue: sintomas, tratamento, prevenção, em quais regiões a doença está presente?

A dengue é uma doença viral cuja contaminação se dá por um mosquito. Nos piores casos, ela pode evoluir para a dengue hemorrágica.

Definição: o que é a dengue?

Conhecida antigamente como "gripe tropical", a dengue é doença viral transmitida para o homem por um mosquito. Todos os anos ela contamina, segundo a Organização Mundial da Saúde ( OMS), cerca de 50 milhões de pessoas, essencialmente nas zonas tropicais e subtropicais, onde ela faz milhões de mortos. O vírus responsável pela doença é um arbovírus (um microorganismo transmitido por um inseto) que faz parte do Flavivirus.

Ele representa, hoje, um dos vírus mais encontrados no mundo apesar de existir apenas quatro variedades. A dificuldade de lutar contra a dengue é devido ao seu modo de transmissão: os mosquitos. Estes insetos são os principais vetores da doença. Infectados por vírus, os espécimes do tipo Aedes contaminam o homem quando ele o pica e se nutre do seu sangue.

Sintomas da dengue

A dengue pode apresentar-se de muitas formas e afeta bebês, crianças e adultos. A forma clássica manifesta-se de 2 a 7 dias de incubação. Ela caracteriza-se pela aparição de sintomas próximos de uma gripe: - febre elevada- dores de cabeça- náuseas- vômitos- dores articulares e muscularesEm alguns casos há erupções cutâneas que parecem um pouco com a rubéola. Entre 3 e 4 dias, uma breve remissão é observada mas ela precede uma intensificação dos sintomas e uma aparição da febre.

Depois de mais ou menos uma semana, a doença pode evoluir espontaneamente para uma cura sem sequelas. Ela pode, entretanto, prosseguir de uma longa convalescência (uma quinzena de dias) com fadiga persistente. Se a dengue é particularmente invalidante, ela não é tão severa, ao contrário da dengue hemorrágica.

Complicações da dengue: dengue hemorrágica

Em certos casos, a forma clássica evolui para complicações e passa a ser chamada dengue hemorrágica. Ela representa 1% dos casos de dengue no mundo e pode levar à morte. Depois da aparição dos primeiros sintomas, esta forma caracteriza-se por uma febre elevada persistente e hemorragias múltiplas como gastrointestinais, cutâneas e cerebrais. Ela exige uma hospitalização mas também pode ser curada com uma cura total e sem sequelas. Entretanto, em alguns doentes ( frequentemente em crianças de menos de 15 anos), a infecção pode piorar e causar defeitos circulatórios. Fala-se de dengue "com sintomas de choque". Uma complicação que pode, frequentemente, sem tratamento, levar à morte do doente.

Tratamento da dengue

Atualmente, não existe nenhum tratamento que cure a dengue, devido a grande variabilidade do vírus. Ainda, na maior parte dos casos, a doença evolui espontaneamente para a cura. O cuidado com o paciente consiste essencialmente em medidas para aliviar os sintomas: repouso, reidratação oral e administração de medicamentos à base de paracetamol para acalmar as dores e a febre. Nas formas mais severas, uma passagem pelo hospital é necessária para hidratar os doentes por via intravenosa. Também não há nenhum tratamento preventivo ou vacina contra a dengue.

Para impedir a proliferação da doença, a prevenção consiste essencialmente em lutar contra o mosquito. É importante evitar as picadas utilizando mosquiteiros e repelentes. Em um espectro maior, o objetivo é de reduzir a população de insetos eliminando as zonas de proliferação possíveis como os reservatórios de água parada. Nos últimos anos, uma outra estratégia está sendo posta em prática, notadamente no Brasil: criar mosquitos modificados geneticamente cuja progenitora não chega a imagem adulta.

Escrito por Raposo Gabriela

Sem Internet
Verifique suas configurações