2016 HO3, este asteroide que acompanha a Terra há pelos menos 100 anos
2016 HO3, este asteroide que acompanha a Terra há pelos menos 100 anos
2016 HO3, este asteroide que acompanha a Terra há pelos menos 100 anos
Leia mais

2016 HO3, este asteroide que acompanha a Terra há pelos menos 100 anos

Cientistas descobriram a existência de um asteroide diferente dos outros. Chamado de 2016 HO3, ele teria sido capturado há uma centena de anos pela Terra quando ele passava por perto. Desde então, ele acompanha nosso planeta, mas deverá em breve continuar seu caminho.

Batizado como 2016 HO3, o asteroide dá voltas em torno da Terra enquanto percorre sua órbita ao redor do Sol, mas está distante demais para ser considerado um satélite, como a Lua."Como o 2016 HO3 circunda nosso planeta, mas nunca vai longe demais, já que ele e a Terra orbitam o Sol juntos, nos referimos a esse asteroide como um semissatélite", disse Paul Chodas, gerente do Centro de Estudos de Objetos Próximos da Terra, da Nasa.

Segundo o cientista, o asteroide 2003 YN107 seguiu um padrão de órbita similar há dez anos, mas acabou se afastando após algum tempo."Esse novo asteroide parece estar mais preso à Terra. Nossos cálculos indicam que ele tem se comportado como um semissatélite há quase um século e continuará a nos fazer companhia por vários séculos."

Gravidade da Terra impede o asteroide de se afastar demais do nosso planeta

O 2016 HO3 foi visualizado pela primeira vez em 27 de abril. Seu tamanho ainda não foi determinado, mas é provável que tenha entre 40 metros e 100 metros de comprimento.Em sua órbita, o 2016 HO3 passa metade do tempo mais próximo do Sol do que a Terra e, na outra metade, fica posicionado mais distante.

Quando o asteroide e nosso planeta se afastam muito, forças gravitacionais o trazem para mais perto."Quando ele começa a se distanciar demais, a gravidade da Terra é forte o suficiente para reverter esse processo e mantê-lo em sua órbita. Assim, ele nunca se afasta além de uma distância de mais ou menos cem vezes a distância da Lua em relação à Terra", afirma Chodas.

"O mesmo efeito o impede de chegar perto demais - ele chega no máximo até 38 vezes a distância da Lua. Assim, esse pequeno asteroide fica preso à Terra, como se estivesse fazendo uma dança com o nosso planeta."

Escrito por Pedro Souza
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações