Mulher condenada por matar amante vence concurso de beleza na prisão
Mulher condenada por matar amante vence concurso de beleza na prisão
Mulher condenada por matar amante vence concurso de beleza na prisão
Leia mais

Mulher condenada por matar amante vence concurso de beleza na prisão

O objetivo do concurso é resgatar a autoestima das presidiárias e promover a socialização entre elas.

Conhecida como “Loura fatal”, Verônica Verone de Paiva, hoje com 25 anos, foi a vencedora de um concurso de beleza realizado na Penitenciária Talavera Bruce, localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ela disputou o título com outras nove presas, que desfilaram com dois trajes: despojado e gala.

Em um mundo onde beleza nem sempre quer dizer boa conduta, há prisioneiras consideradas muito perigosas para serem encarceradas em uma prisão para mulheres, mas aparentemente este não é o caso de Verônica.

O objetivo da competição é resgatar a autoestima destas mulheres – todas foram avaliadas nos quesitos beleza, elegância e simpatia. Antes de subirem no palco, elas tiveram um verdadeiro dia de princesa com maquiadores e cabeleireiros.

As candidatas foram julgadas por dez jurados, a maioria funcionários da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), responsável por promover o concurso. O prêmio para o primeiro lugar foi um ventilador. A segunda colocada ganhou um secador de cabelos e a terceira uma prancha alisadora.

Para participar do concurso de beleza, que está em sua 13ª edição, é necessário apresentar bom comportamento – algo que, até o ano passado, Verônica não tinha. Ela acumula em seu histórico oito faltas graves cometidas na prisão. Este ano, porém, mudou os seus hábitos, conseguiu entrar e acabou vencendo o Garota Talavera Bruce.

Verônica está presa há sete anos por ter matado o amante enforcado dentro de um quarto de motel. Ela vivia um romance com o empresário Fábio Gabriel Rodrigues, que era casado. Apesar de ter sido condenada a 15 anos de prisão pelo assassinato, a jovem afirma que tentava se defender de uma tentativa de estupro.

Se o bom comportamento continuar, a previsão é que ela passe para o regime semiaberto em janeiro do próximo ano.

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações