Polícia leva 117 horas pra resgatar cobra que estava solta em um prédio
Polícia leva 117 horas pra resgatar cobra que estava solta em um prédio
Leia mais

Polícia leva 117 horas pra resgatar cobra que estava solta em um prédio

Caso aconteceu em um prédio no Distrito Federal. Animal foi avaliado em 5 mil reais.

Uma visita inesperada

Os moradores de Águas Claras, município do Distrito Federal, ficaram atônitos com a notícia de que uma cobra muito grande estava presa dentro de um prédio da cidade. O animal de 1,5m foi encontrado por um garoto que mora no prédio e acionou a polícia. O Major da Polícia Federal do Distrito Federal José Gabriel de Souza Júnior contou, em entrevista ao portal R7 que, mais ou menos na meia noite de um quinta-feira recebeu uma ligação: “Um garoto, de uns 15 anos, estava estudando e percebeu movimentação estranha no armário. Quando abriu, era uma cobra”.

Ele conta também que o pai do jovem garoto, antes de chamar as autoridades, tentou por si mesmo capturar a jiboia, mas sem sucesso. “O jovem chamou o pai para capturar o animal, mas não conseguiu. A serpente conseguiu escapar pela tubulação de água, próxima ao banheiro que tinha no quarto do adolescente”, relatou.

Em casos recentes, uma mulher tomou um susto ao encontrar cobra venenosa no banheiro de casa na Austrália. Outra cobra foi encontrada no motor de uma carro, deixando moradores de uma pequena cidade do Estados Unidos apavorados.    

Porém, a polícia alerta a todos: "Não pode (tentar capturar o bicho). Quando se deparar com animal silvestre, acione a polícia”.

117 horas para a captura

Depois de recebido o telefonema informando sobre o caso, uma viatura da polícia ambiental foi despachada em direção ao local para recapturar a jiboia. Chegando lá, depararam-se com a chamada jiboia arco-íris, avaliada de 2 a 5 mil reais. Para tentar atrair o réptil a sair da tubulação do prédio, foram utilizadas diversas armadilhas feitas com galões de água e ratos vivos e mortos dentro deles, na tentativa de fazer a serpente sair de seu esconderijo e ser capturada. Porém, as tentativas acabaram sendo em vão. "A serpente estava muito bem escondida”, contou José. Durante o tempo que o animal estava "foragido", a polícia resolveu então avaliar quem era o dono do bicho: um rapaz de 23 anos, que mora no 28º andar do prédio afirmou que cuidava da cobra. “O dono disse que ela tinha a idade de dois anos e que era criada solta no apartamento com mais dois cachorros. E disse que ela nunca fez mal a ninguém”. 

Passaram-se dias sem notícias do réptil, até que a polícia recebeu outra de um dos habitantes do prédio ligação. "Ele notou o lustre balançando constantemente, o que indica que a cobra podia estar presa em meio aos fios", relatou o major. Após passados 5 dias desde o início das buscas, finalmente a jiboia foi encontrada, rastejando pelo chão do prédio, já por fora da tubulação e no exterior do prédio, na calçada. O agente da polícia ambiental contou que “O porteiro, que havia recebido treinamento, conseguiu capturar o animal. Depois, chegamos lá e resgatamos a serpente. É um animal dócil.” 

O desfecho

A serpente foi então transferida para o Cetas (Centro de Triagem de Animais Silvestres), do Ibama, e lá passará por um processo de readaptação e devolvida ao meio ambiente. Quanto ao seu dono, ele irá responder por um processo, e pode pegar de 3 meses a 1 ano de prisão, além de ter de pagar uma multa no valor de 5 mil reais por ter criado, ilegalmente, a cobra em cativeiro.

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação
Sem Internet
Verifique suas configurações